CONCILIAÇÃO

PT entrega 4,5 milhões para golpistas do PROS que hoje se aliam a bolsonaristas

A união com o Partido Republicano da Ordem Social (Pros) foi renovada nessas eleições e conta com pagamento elevado de despesas da campanha do aliado, tendo até agora o repasse do PT de 4,5 milhões.

segunda-feira 24 de setembro| Edição do dia

Em 2016, quatro dos seis deputados do Pros votaram a favor do golpe institucional na câmara. Nos estados, o partido formou alianças que incluem o candidato ao governo de Roraima Antônio Denarium do PSL, mesmo partido do reacionário Jair Bolsonaro.

O diretório nacional do PT consta como doador de campanhas eleitorais de 15 candidatas do Pros, e uma das beneficiadas foi Clarissa Garotinho, filha dos ex-governadores do Rio de Janeiro que concorre à câmara, que já recebeu R$ 700 mil para o fundo de campanha. Esse valor elevado para os padrões da campanha chega a ser mais alto do que nomes veteranos do próprio PT estão recebendo, como o ex-ministro da saúde Alexandre Padilha, que recebeu R$ 507 mil para sua campanha a deputado federal em São Paulo.

Atualmente o Pros nega que apoiou o golpe institucional, apesar de quatro de seus seis deputados terem votado a favor. Como justificativa, afirmam que não houve “de forma alguma orientação partidária” para os votos.

O PT vem cada vez mais escancarando que está longe de ser uma alternativa para os trabalhadores. Se aliando com partidos diretamente golpistas como MDB e os golpistas do PROS, propõe até mesmo ao PSDB e partidos tão escravistas quanto Bolsonaro um pacto nacional reacionário, para estabilizar o regime colocando golpistas no governo e preparando a transição para um novo regime mais autoritário. Essa proposta de pacto, apesar de nenhuma promessa de governo estável, está a serviço de mostrar pro mercado maior capacidade de atender os seus interesses.

Haddad chegou a afirmar na sabatina do Uol sobre a reforma da previdência que "essa reforma do Temer, o primeiro relatório que está na Câmara, tem coisas úteis”. Apesar de tentar se colocar como uma alternativa viável para combater a extrema direita, o partido que governou por 13 anos garantindo o lucro dos empresários, que triplicou a terceirização e pagou fielmente a ilegítima dívida pública, está se colocando ainda mais a serviço de manter esse regime de exploração para que os trabalhadores paguem pela crise conciliando com golpistas.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Golpe institucional   /    Haddad   /    PT

Comentários

Comentar