Política

SEGUNDO TURNO EM RECIFE

PT é derrotado em Recife e não elege prefeito em nenhuma capital do Nordeste

Em Recife (PE), única capital do nordeste onde o Partido dos Trabalhadores (PT) mantinha sua esperança de obter pelo menos uma prefeitura, no que foi um dia o bastião eleitoral histórico do lulismo, também foi derrotado. Esta foi a única cidade do nordeste em que o PT participou do segundo turno e mesmo assim com uma diferença grande de votos em relação ao primeiro colocado no primeiro turno eleitoral.

Shimenny Wanderley

Campina Grande

domingo 30 de outubro| Edição do dia

Foi reeleito como prefeito de Recife Geraldo Júlio do Partido Socialista Brasileiro (PSB) com 61,30% dos votos, na coligação Frente Popular do Recife, integrada pelo PSB/PMDB/PRTB/PCdoB/PPL/PSC/PR/PMB/PTC/PP/PPS/PDT/PRP/SD/REDE/PSDC/PROS/PHS/PEN, contra João Paulo do Partido dos Trabalhadores (PT) que obteve 38,70% dos votos, pela coligação Recife pela Democracia integrada por PT, PRB, PTN e PTdoB. O número de votos brancos e nulos somam 11,33%.

O primeiro elemento que se identifica com o resultado dessa eleição é a derrota do PT nas urnas, confirmando uma tendência nacional expressa fortemente desde o primeiro turno evidenciando o fracasso do projeto de conciliação de classes.

Notem ainda que o vice-prefeito, Luciano Siqueira, é do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), partido que nacionalmente foi aliado histórico dos petistas, que permaneceu na chapa com o PSB, partido que apoiou o golpe institucional, como em muitas outras partes do Brasil. Luciano Siqueira foi vice-prefeito do Recife por oito anos na gestão do PT, de 2001 à 2008, tendo como prefeito João Paulo que foi o atual candidato pelo PT, derrotado nessas eleições.

Importante destacar ainda que o segundo turno das eleições foi marcado em todo o país, por um lado, pelo fortalecimento da direita, e por outro, pelas ocupações de escolas e universidades contra a PEC241/16 e contra a Reforma do Ensino Médio, que chegam a mais de mil em todo o país e que tem ocupações também no estado de Pernambuco. As ocupações têm forçado o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a transferirem as seções eleitorais que que estavam alocadas nas escolas e universidades ocupadas para outros prédios. Em Recife o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) transferiu as 11 seções eleitorais do Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco (CE/UFPE) e as outras 11 do Centro de Ensino de Graduação da Universidade Federal Rural de Pernambuco (CEGOE/UFRPE).

Frente aos resultados das eleições em todo o país, fica claro que o caminho a ser trilhado é a partir dos exemplos de luta dados pela juventude nas ocupações. Essa juventude está mostrando que o caminho para barrar os ataques que a juventude e a classe trabalhadora estão sofrendo é se organizando para lutar. É preciso que a juventude e a classe trabalhadora, que precisa entrar em cena urgentemente, se unifiquem numa grande luta contra os ataques do governo.




Tópicos relacionados

Campina Grande   /    Eleições 2016   /    Política

Comentários

Comentar