CEARÁ

PT Ceará segue sua submissão aos golpistas facilitando candidatura de Eunício de Oliveira (PMDB)

A reunião do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores no Ceará, no sábado 28 de julho, votou que o partido não vai indicar nenhum nome para a disputa ao senado. Uma decisão que facilita a articulação de uma “aliança branca” com os golpistas do MDB, especialmente com o presidente do senado Eunício de Oliveira, que agora aumenta muito suas chances de garantir a reeleição.

terça-feira 31 de julho| Edição do dia

E que já vem aparecendo junto ao governador do estado, Camilo Santana, em eventos na capital e interior do Ceará, desde o final de 2017.

Até mesmo os setores que são parte dessa estratégia eleitoral submissa tem que reconhecer como são essas tipos de acordo que abrem espaço para a direita. O senador José Pimentel divulgou nota no seu site declarando que essa decisão “enfraquece a campanha Lula Presidente no Ceará e possibilita o fortalecimento dos setores que hoje atacam as conquistas sociais”. Claro que tudo isso é demagogia vinculado aos seus interesses eleitorais, tendo em vista que essa votação impede sua reeleição ao Senado.

Esse acordo é mais uma demonstração da extrema subordinação do PT em base a acordos e interesses eleitorais. Enquanto não movem uma palha para organizar a classe trabalhadora para lutar contra a prisão arbitrária de Lula e os avanço dos golpistas, mantendo a paralisia pela via da trégua das centrais sindicais que dirigem, continuam apostando todas as suas fichas no Judiciário golpistas e nas eleições parlamentares, subordinando-se a acordos com os golpistas, como esse no Ceará.

É urgente a necessidade de superar os métodos de subordinação e conchavos com a direita do PT, criando uma organização de trabalhadores que seja independente de qualquer setor burguês, e que esteja disposto a enfrentar a direita, seus métodos e suas políticas com a força da luta dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

Ceará   /    Nordeste   /    PMDB   /    PT

Comentários

Comentar