Educação

MÁFIA DAS MERENDAS

PSDB esvazia comissão da ALESP para não analisar fraude da merenda

A Assembleia Legislativa de São Paulo ainda não analisou nenhum dos requerimentos protocolados sobre o escândalo da merenda por falta de quórum

Danilo Magrão

Professor de sociologia da rede pública

quarta-feira 20 de abril de 2016| Edição do dia

Com o objetivo de abafar o escândalo da merenda, a Assembleia Legislativa do estado de São Paulo, presidida por Fernando Capez (PSDB), também acusado de fazer parte do esquema de corrupção, ainda não analisou nenhum requerimento protocolado sobre o escândalo da merenda. Controlada pelo PSDB, a Comissão de Educação e Cultura responsável por analisar o caso não deliberou sobre vários temas na pauta relativos por falta de quórum.

Entre os temas pendentes constam a convocação para esclarecimentos do ex-secretário da Educação, Herman Voorwald, que em sua gestão havia tentado fechar escolas através da chamada “reorganização escolar”. Além dele, o ex-chefe de gabinete da secretaria, Fernando Padula que declarou guerra contra os secundaristas, também seria convocado para prestar esclarecimentos. Ambos são citados na investigação como receptores de propina.

Essa manobra no legislativo faz parte da operação de guerra que leva a frente o governador Geraldo Alckmin contra os que lutam contra esse escândalo de corrupção.

Em Campinas, a polícia de Alckmin reprimiu violentamente um ato de estudantes, prendendo três deles. Também coloca seus recursos repressivos contra as torcidas organizadas, após realizarem protestos contra a máfia da merenda.

Na mesma semana que o corrupto e reacionário Congresso Nacional aprovou o golpe institucional através da admissibilidade do impeachment, a hipocrisia tucana contra a corrupção mais uma vez mostra sua casa. Enquanto os professores da rede pública amargam o segundo ano sem reajuste salarial, com um arrocho salarial que atinge quase 20% de perdas reais, o alto escalão do Palácio dos Bandeirantes enriquece e financia suas campanhas literalmente roubando comida da boca dos estudantes.




Tópicos relacionados

Máfia das Merendas   /    Educação   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar