Política

ELEIÇÕES 2016

PSDB de Alckmin se fortalece nestas eleições

Além da vitória eleitoral de João Dória no primeiro turno na cidade de São Paulo, candidatos apoiados pelo governador Geraldo Alckmin conseguiram bons resultados nas principais cidades do interior paulista.

Guilherme de Almeida Soares

São José dos Campos

segunda-feira 3 de outubro| Edição do dia

Em Campinas, o atual prefeito, Jonas Donizete (PSB), foi reeleito no primeiro turno com 65,43% dos votos valídos e teve apoio dos tucanos. Os tucanos ainda recuperaram a prefeitura de São José dos Campos, no Vale do Paraíba, com a vitoria no primeiro turno de Felício Ramuth, com 63,27% dos votos válidos. O atual prefeito e candidato à reeleição pelo PT, Carlinhos de Almeida, teve 20,71% dos votos e não conseguiu chegar ao segundo turno.

Em Riberão Preto, o ex-secretário do governo Geraldo Alckmin, o deputado federal Duarte Nogueira (PSDB), largou na frente para a disputa do segundo turno com 39,86% dos votos. O seu adversário será Ricardo Silva (PDT), que teve 27, 86%. O governador também apoiou a reeleição do prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) em Santos. Outra vitória tucana ocorreu em Piracicaba, onde Barjas Negri teve 70,31% dos votos válidos.

Já em Sorocaba, o candidato do DEM, José Crespo, apoiado pelo PMDB, vai disputar o segundo turno com o candidato do PSOL, Raul Marcelo. O vereador Crespo teve 45,18% dos votos válidos e está em vantagem na disputa pelo segundo turno. A votação marcou o fim de uma hegemonia de 20 anos do PSDB na cidade. O candidato do partido, João Leandro, teve 13,47% dos votos e ficou na terceira colocação.

Contrariando as últimas pesquisas, que ainda indicavam segundo turno, o candidato do PMDB, Edinho Araújo, conquistou a prefeitura de São José do Rio Preto, neste domingo, com 52,26% dos votos válidos. O candidato do PSB, deputado estadual Orlando Bolçone, teve 32,20% e não conseguiu levar a disputa para o segundo turno. O petista João Paulo Rillo ficou em terceiro lugar com 10, 41%.

Já em Osasco, o candidato do PTN, vereador Rogério Lins, teve 39,46% e vai disputar o segundo turno com o atual prefeito Jorge Lapas, do PHS, que é apoiado pelo PT e recebeu 37,9%. Em Jundiaí, também acontecerá eleições no dia 30, após Luiz Fernando Machado (PSDB) liderar a votação de domingo, 2, com 47,02%. Em segundo lugar ficou Pedro Bigardi, que tenta a reeleição, com 26,69%.

Em Bauru, no noroeste do Estado de São Paulo, o candidato do PSD e ex-secretário municipal do Meio Ambiente Clodoaldo Gazzetta irá disputar o segundo turno com Raul Gonçalves do PV. De acordo com as informações do Jornal O Estado de São Paulo, eles tiveram no primeiro turno 45,53% e 30,61% dos votos respectivamente.
De um lado, um dos motivos que explica o crescimento dos tucanos no Estado de São Paulo é o fato desta ala do PSDB que gira em torno do Governador Alckmin ter aparecido como o setor mais consequente dos golpistas em defesa dos ataques contra os trabalhadores e setores populares da sociedade. Conforme o governo golpista vacilou em torno dos ataques que estava prometendo, esta ala tucana se colocou critica a Temer por conta deste vacilo.

Do outro lado, se posicionando para a população como o partido que fará ’’uma gestão eficiente’’ e que vai fazer o ’’país crescer’’, o PSDB conseguiu canalizar o voto de milhares de trabalhadores e setores populares da sociedade que esperam que os governos respondam a atual crise econômica que o país está passando. Este sentimento de preocupação de milhares de trabalhadores certamente entrara em choque com os ataques que os tucanos irá implementar no próximo período.

As prefeituras conquistadas pela ala tucana apoiada por Geraldo Alckmin deixam o PSDB numa posição mais favorável para impor medidas impopulares contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade para conquistar a confiança do imperialismo que quer que os ataques sejam implementados de imediato. O objetivo do PSDB ao conquistar estas prefeituras é lançar a candidatura do PSDB para 2018.

João Doria em entrevista à rádio Estadão, disse que a candidatura de Geraldo Alckmin à presidência da República é um caminho natural. De acordo com suas palavras: ’’Não foi necessário lançar Alckmin (à Presidência). É um caminho natural’’. E também disse: ’’Ele também foi um vencedor nesta campanha’’.

As prefeituras conquistada pelo o PSDB em São Paulo, do outro lado colocam uma pressão a Temer para que os ataques sejam implementados o mais rápido possível. Se Michel Temer não conseguir implementar estas medidas impopulares, os imperialismo pode rifar o atual governo e quem sabe, colocar um tucano na presidência.




Tópicos relacionados

Eleições 2016   /    PSDB   /    Alckmin   /    Política

Comentários

Comentar