Política

SEGUNDO TURNO

PSDB de Alckmin sai fortalecido das urnas

Fechado o segundo turno e as eleições para as prefeituras em todo Brasil as disputas internas do PSDB ganham contornos mais claros.

domingo 30 de outubro| Edição do dia

Alckmin e Aécio, que disputam quem levará o nome do PSDB nas eleições para presidente em 2018, lançaram seus principais candidatos para duas grandes prefeituras. Alckmin com Dória em São Paulo, eleito no primeiro turno, e Aécio com João Leite, que perdeu o segundo turno para Kalil do PHS, com 52,98% dos votos.

Com os tucanos ganhando no estado de São Paulo 14 das 28 cidades com mais de 200 mil habitantes, além da capital, como por exemplo Santo André, São José dos Campos, Jundiaí e São Bernardo do Campo, o PSDB paulista se fortalece na disputa interna do partido contra as alas aliadas de Aécio. Em Santo André o PSDB ainda pode se gabar de ter tido uma vitória acachapante contra o PT, que ficou com apenas 21% dos votos.

O todo poderoso tucano paulista também coloca na sua conta a vitória do PSB, partido aliado, em outras três grandes cidades do estado, Guarulhos, Mauá e Campinas, o que fortalece ainda mais seu governo e a sua legitimidade para passar os ataques no estado, do jeito que o PSDB gosta, se colocando em vantagem em relação a Aécio no cenário nacional.

Já Aécio que apesar de ainda contar com o apoio de grande parte da mídia e de figuras do PSDB, foi criticado por ter apoiado João Leite em Belo Horizonte, nome "perdedor", e precisou neste domingo (30) disparar contra o PT, que segundo o senador ajudou em sua derrota por apoiar informalmente o milionário Kalil, contra seu candidato. Aécio tentando se relocalizar após o baque da derrota em Minas Gerais, agora relativiza a influência desse resultado para as disputas de 2018.

Alckmin e Aécio, apesar de adversários nessas disputas internas do PSDB, compactuam de um ponto característico em comum. Ambos são protagonistas de vários escândalos de corrupção, o primeiro com o cartel do metrô e a Máfia da Merenda e o segundo com o desvio de R$7,6 bilhões da saúde do estado de MG e a liderança do mensalão tucano com fraudes na Eletrobrás, por exemplo.

Alckmin sai a frente com a vitória e o fortalecimento do PSDB em São Paulo e com apoio de empresários e com forças da direita como PSB e PTN, mas até a decisão do candidato a presidente do PSDB para 2018 se concretizar muita água ainda passa por debaixo da ponte.

Em sua declaração Aécio terminou dizendo que passadas as eleições o foco é as agendas de reformas, leia-se ataques e retiradas de direitos da população. Esta afirmação não é nem de longe uma fala que coloca as disputas internas do PSDB em segundo plano. Pelo contrário, Aécio e Alckmin sabem que levará essa disputa quem mostrar mais disposição para atacar os trabalhadores e tiver mais base para isso.




Tópicos relacionados

Eleições 2016   /    PSDB   /    Política

Comentários

Comentar