Sociedade

INVASÃO POLICIAL EM CASAS DO ALEMÃO

PMs são denunciados por invasão de domicílio ao ocupar imóveis no Complexo do Alemão

Dois policiais estão sendo denunciados pelo Ministério Público pelos crimes de constrangimento ilegal e invasão de domicílio, após invadir cinco casas no Complexo do Alemão, em fevereiro, com a justificativa de que as casas eram “local de crime” ou que estavam abandonadas, o que foi negado pelos moradores.

terça-feira 1º de agosto| Edição do dia

Os investigados são o comandante da Coordenadoria de Polícia Pacificadora, o coronel André Luiz Belloni Gomes, e o major Leonardo Gomes Zuma, comandante da UPP Nova Brasília. Na denúncia consta que lajes foram usadas como pontos estratégicos de observação para os militares que atuam na região e que as invasões foram feitas inclusive no meio da noite. “Foram os casos mais explícitos dos últimos tempos de abuso de autoridade com justificativas falsas.” diz o Ouvidor da Defensoria Pública, Pedro Strozenberg. O MP quer punir o coronel Belloni porque ele deveria ter impedido as ações do major Zuma. A Justiça determinou a desocupação imediata dos policiais militares de residências de moradores.

Os policiais militares disseram como justificativa que o imóvel estaria invadido por criminosos e que, se saíssem, seriam atingidos por traficantes. Disseram ainda que os imóveis estavam abandonados, todas as justificativas foram negadas pelos moradores.

O complexo do Alemão foi ocupado pela polícia em 2010 em uma ação quase que cinematográfica. UPPs foram instaladas em várias comunidades, apesar disso a violência só aumenta e a cada dia a polícia comete um novo abuso de poder. As invasões às casas dos moradores sem nenhum tipo de mandado, diferente do que a polícia quer fazer crer, é uma constante não apenas no Alemão mas em todas as favelas, em que os policiais agem a seu bel prazer desrespeitando todo tipo de direito civil dos moradores (isso quando não estão diretamente os matando com as "balas perdidas").

Constantemente, jovens são assassinados pela mão da polícia, a cada 10 destes mortos, 9 são negros. Nos últimos anos, a polícia matou uma criança por mês no Rio de Janeiro.

Enquanto isso, o governador Pezão cortou investimentos da educação e aumentou recursos para o aparato policial, além de isentar impostos bilionários de empresários. Isso só reforça a desigualdade criada por esse sistema de miséria que mantém os lucros dos capitalistas a medida que mantém a violência organizada do estado contra os trabalhadores e os deixa sem seus direitos mínimos como a integridade de suas residências, a segurança e a educação.




Tópicos relacionados

Crise no Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Sociedade   /    Violência Policial

Comentários

Comentar