Educação

ESCOLA SEM PARTIDO

PM reprime manifestação na Câmara de SP contra o Escola Sem Partido

Estudantes e professores são expulsos da Câmara Municipal de SP sob repressão policial na tarde desta terça, 12, após realizar protesto contra o reacionário projeto Escola Sem Partido.

terça-feira 12 de dezembro de 2017| Edição do dia

Professores, estudantes secundaristas e estudantes universitários se concentraram na tarde desta terça na Câmara Municipal de SP para protestar contra o reacionário projeto Escola sem Partido, que tem como objetivo proibir debates políticos e reflexão crítica em salas de aula das escolas públicas.
Devido a manifestação e ao confronto, o projeto não foi pautado na sessão do plenário.

O MBL e setores da direita estiveram presentes para fazer passar de qualquer modo este ataque histórico à educação, inclusive apelando à violência e a discursos de ódio contra os manifestantes ali presentes.

O Vereador Milton Leite (DEM) junto ao vereador Conte Lopes (PP), em base a xingamentos e provocações baratas, chamando os estudantes de bandidos, ex-presidiários etc, instigaram que a polícia reprimisse os manifestantes presentes. A polícia chegou inclusive a quase prender a vereadora Juliana Cardoso (PT), que também se manifestava contra a presença da polícia.

A direita reacionária, sem força para aprovar este projeto na Câmara, apela à polícia para ver até onde consegue chegar. Sem conseguir ainda base o suficiente para aprovar o projeto, Fernando Holiday, coxinha do MBL, afirma que irá batalhar para conseguir estes votos, e queo projeto deve voltar a ser pauta no ano que vem.
Essa direita, que apela à PM, com agressão, spray de pimenta e tentativa de prisão, perde as estribeiras por não conseguir vencer no debate político e parte para esse tipo de coisa.
Não vamos permitir que esse projeto reacionário seja implementado nas escolas. Seguiremos na batalha contra este projeto arcaico, contra todo e qualquer tipo de censura e perseguição política aos professores.
Queremos uma educação que ensina a pensar e a criticar e vamos até onde for preciso para conquistá-la!

Seguem algumas fotos da violência promovida pela polícia.




Tópicos relacionados

Câmara dos Vereadores   /    Escola sem partido   /    Educação   /    Militarização das escolas   /    Educação   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar