Sociedade

AMEAÇA DE DESPEJO

PM dá sinais de ameaça de despejo na ocupação Carolina Maria de Jesus em Belo Horizonte

A Polícia Militar tem sobrevoado o edifício da Ocupação Carolina Maria de Jesus. A situação se tornou absurda nessa segunda-feira, dia 7, que em voos rasantes foi simulada uma entrada com o lançamento de cordas do helicóptero. O governo do petista Fernando Pimentel insiste em mandar a Polícia Militar para a intimidação dos moradores, apesar do processo de negociação da permanência no prédio.

quarta-feira 9 de maio| Edição do dia

O imóvel ocupado no Centro de BH por cerca de 200 famílias é alvo do assédio do Governo do Estado de Minas Gerais e do Prefeito de Belo Horizonte. Liderados pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), a ocupação reivindica que edifícios abandonados sejam destinados à moradia popular. Ocupações semelhantes têm surgido em Belo Horizonte e outras cidades, como São Paulo, onde semana passada um edifício ocupado sofreu um incêndio e desabou. A tragédia que ocorreu no Largo Paissandu levantou a questão das ocupações urbanas no país inteiro. Mesmo assim os moradores permanecem dormindo na rua após uma semana.

Em meio à crise habitacional e a falta de investimentos públicos em acesso a moradia, o número de imóveis e terrenos vazios na Região Metropolitana de Belo Horizonte é próximo ao de famílias que não têm onde morar. Todos esses dados indicam que morar é um privilégio, legitimando o direito de ocupar os imóveis abandonados ou sem uso.

Para enfrentar a especulação imobiliária e a repressão do governo petista precisamos lutar por planos de obras públicas controladas pelos trabalhadores e pela população. Que visem não o enriquecimento de grandes empresas com a especulação, mas que atenda as reais necessidades da população. Como há tantos imóveis ociosos quanto pessoas sem ter onde morar, expropriar esses imóveis, sem indenização, como parte de um programa de reassentamentos que adeque e sirva de moradia às famílias ocupantes. Também lutar contra os privilégios pela reversão imediata dos auxílios-moradia dos juízes e políticos para habitação da população.

As ocupações desempenham papel importante na luta contra a cidade como espaço segregado. Por isso repudiamos totalmente a ameaça de despejo da ocupação Carolina Maria de Jesus, e toda a repressão do governo do petista Fernando Pimentel e do prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil.




Tópicos relacionados

Ocupações   /    Moradia   /    Sociedade   /    Belo Horizonte

Comentários

Comentar