Sociedade

DESOCUPAÇÃO FORÇADA

PM comandada pelo governador Fernando Pimentel (PT) ameaça despejar ocupação urbana de BH

A Ocupação Carolina Maria de Jesus, onde vivem 200 famílias, recebeu na quinta-feira passada (11) uma notificação da Polícia Militar de Minas Gerais convocando uma reunião para tratar do despejo da ocupação.

quarta-feira 17 de janeiro| Edição do dia

Foto: Lucas Simões

A notificação enviada pela PMMG é uma ameaça às 200 famílias e rompe as negociações que vinham sendo feitas por meio da Mesa de Diálogos composta pelo Movimento, pelo Governo do Estado, pela Prefeitura e por outros órgãos competentes.

O MLB - Minas Gerais denuncia também que foi convocada outra reunião com a presença do Ministério Público e sem a presença do Movimento para organizar "o despejo forçado caso o MLB não entre em acordo". O governador Fernando Pimentel (PT) é o comandante máximo da PM mineira e responsável por estas ações.


Foto: Veronica Manevy/Imprensa MG

Ontem (17) moradoras da Carolina Maria de Jesus ocuparam a prefeitura de BH para pressionar o prefeito Alexandre Kalil (PHS), que não vinha se reunindo com o movimento e estava apoiando passivamente os movimentos da PM pela desocupação. Com a ocupação temporária da prefeitura foi conseguida uma reunião com o prefeito, que se comprometeu a buscar uma solução: "a gente vai negociar, vai ter solução e não vai ter despejo", segundo relatou uma ativista do movimento que se reuniu com o prefeito.

A Ocupação Carolina de Jesus, localizada na Av. Afonso Pena nº 2.300, ocupa um prédio no centro de Belo Horizonte que há mais de 7 anos não cumpria nenhuma função social. A ocupação já dura 4 meses, tendo iniciado no dia 6 de setembro de 2017. Neste período já organizaram uma creche, uma horta e uma cozinha comunitárias em benefício das 200 famílias que vivem na ocupação, com maioria de mulheres e crianças.

O governo de Fernando Pimentel (PT) já tem um “legado” de violência contra manifestações populares, estudantis e das ocupações urbanas. Já foram várias reintegrações de posse contra as ocupações, cumpridas com os costumeiros métodos violentos da Polícia Militar, sendo o fruto mais cruel desta violência o tiro de borracha disparado pela PM contra o rosto de uma menina de 14 anos, durante a reintegração de posse da Ocupação Manoel Aleixo, ocorrida no dia 1º de maio do ano passado. Gabriela perdeu 6 dentes, e precisou realizar cirurgias de reconstrução óssea e implantes dentários.

Esta violência do Estado está a serviço de salvaguardar a propriedade privada acima de qualquer direito, beneficiando os grandes empresários, proprietários de imóveis e terrenos que só servem à especulação imobiliária. Nos colocamos contra o despejo e ao lado das 200 famílias que lutam por seu direito à moradia, ao passo que responsabilizamos politicamente o governador Fernando Pimentel por qualquer ataque ou violência que os moradores da Ocupação Carolina Maria de Jesus sofram.




Tópicos relacionados

Minas Gerais   /    Sociedade   /    Belo Horizonte

Comentários

Comentar