Educação

UNIVERSIDADE

PM cerca biblioteca da UFRN para exibição de documentário de Olavo de Carvalho

A Polícia Militar do RN hoje garantiu a segurança dos comparecedores a uma exibição do documentário “O Jardim das Aflições” sobre o reacionário Olavo de Carvalho armados de fuzis e em quatro camburões na entrada da Biblioteca Central Zila Mamede, na UFRN.

quarta-feira 15 de novembro| Edição do dia

Ontem, terça-feira, 14, a entrada a Biblioteca Central Zila Mamede, na UFRN, foi sitiada por quatro camburões da polícia militar do Estado do Rio Grande do Norte à pedido do Instituto Felipe Camarão, para garantir a exibição do documentário "O Jardim das Aflições".

Tal Instituto aplica uma política reacionária e defende o retorno da monarquia e, além de estar organizando o I Encontro Monárquico do Rio Grande do Norte, trará Marisa Lobo, grande defensora da “Cura Gay” para palestra na universidade.

Esta “medida de segurança” foi tomada após a exibição do mesmo documentário ser combatida por ativistas e militantes de organizações da esquerda na UFPE, impedindo o fim da exibição do filme.

O repúdio à presença da PM e às ações do Instituto Felipe Camarão, diversas vezes em parceria com o MBL, ressoou nas redes sociais entre os estudantes da UFRN. Mas para fazer frente à estes reacionários que se sentem cada vez mais à vontade com o avanço das reformas de Temer. É preciso retomar os métodos do movimento estudantil e do movimento operário e disputar o conhecimento produzido nas universidades para estar à serviço dos trabalhadores e da população e não da monarquia.




Tópicos relacionados

Educação

Comentários

Comentar