Mundo Operário

DECLARAÇÃO

Pela readmissão imediata do companheiro Valtinho

Reproduzimos abaixo nota da agrupação Nossa Classe Metroviários, composta por militantes do Movimento Revolucionário de Trabalhadores e independentes, trabalhadores do Metrô de São Paulo.

quinta-feira 23 de maio| Edição do dia

O Metrô de SP demitiu nessa segunda feira por "baixa" produtividade o companheiro Valtinho. Com mais de 30 anos como metroviário, Valtinho é mais uma vítima da política de privatização do governo de SP, que vem demitindo funcionários já há alguns anos por "baixa" produtividade, se baseando em um sistema de avaliação de desempenho, com critérios subjetivos e volúveis, além de demitir por questões operacionais, como no caso do operador de trem Joaquim, demitido em janeiro desse ano por uma falha na linha 1 azul. Assim o Metrô vai diminuindo o quadro operativo e preparando o terreno para privatizar, entregando a operação para as empresas que financiam as campanhas eleitorais do governador, no caso hoje, João Doria.

A "vala", base da manutenção no Patio Itaquera (PIT) onde Valtinho trabalha, na hora da demissão na última segunda-feira (20) parou, organizando uma setorial para discutir medidas que possam reintegrar o companheiro. Na manhã, do dia 21, mais uma setorial foi organizada(café com vizinho), mostrando disposição de luta dos trabalhadores do PIT, aprovando a parada de todos os demais setores e trabalhadores de outras bases como PAT, POT e EPB também no horário de café, se reuniram e tiraram fotos massivas em apoio ao companheiro e repudiando a demissão, mesmo assim dia 22, reunido com uma comissão de trabalhadores da base e representantes do sindicato, o gerente de manutenção manteve o ataque. Não podemos aceitar mais esse abuso da empresa em um momento onde a categoria mostrou sua força na campanha salarial e pode entrar com toda sua energia na greve geral de 14/06, contra a reforma da previdência

Nós do movimento Nossa Classe, exigimos a imediata reintegração de Valtinho, não aceitaremos que o Metrô e o governo de São Paulo, venham impor o medo à categoria. Sua demissão é uma grande injustiça, os metroviários não podem aceitar essa postura da empresa.

Esse é um momento que os trabalhadores precisam entrar em cena, para acompanhar as ruas e parar a produção, enterrando os projetos privatistas e de retirada de direitos, que os governos de Bolsonaro e Doria querem impor. Se somar à mobilização convocada pelos estudantes dia 30/05, adiantando a greve geral para essa data, é o que as centrais sindicais deveriam estar fazendo para derrotar o projeto do governo.

Não a toa, em meio a esse cenário, o Metrô demite Valtinho. Quer aterrorizar e amedrontar a categoria, pois sabe que travaremos uma dura batalha contra a reforma da previdência em breve. Já sentiram o peso dos nossos coletes vermelhos e agora querem podar qualquer mobilização, visto as punições em alguns lugares, por conta do adesivo usado no dia 15/05, em apoio aos professores e estudantes. A demissão de Valtinho é mais um passo rumo a privatização do Metrô, não aceitaremos essa covardia.

Todos à assembleia, 27 de Maio, próxima segunda-feira às 18:30, no Sindicato dos Metroviários.




Tópicos relacionados

São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar