Política

Os devaneios de Janaina Paschoal. Estão rindo? Pois eu estou falando sério.

Embora a base militar russa na Venezuela ainda não seja realidade, já é motivo de preocupação para Janaina Paschoal. Ela aproveitou a notícia para exigir que Temer "tome medidas efetivas para libertar a Venezuela de Maduro".

sexta-feira 28 de outubro| Edição do dia

Na mesma semana em que a oposição ao presidente da Venezuela Nicolás Maduro abriu um processo político contra ele no parlamento, o vice-ministro da Defesa russo, Nikolai Pankov, revelou pretensões de montar uma base militar naquele país. Essas informações ascenderam em Janaina Paschoal um alerta urgente: é necessário intervir na Venezuela antes que a Russia ataque o Brasil.

Talvez as "medidas efetivas" que ela exige de Temer sejam no sentido de aproveitar sua experiência golpista para colaborar com uma manobra análoga no país vizinho. Embora a Constituição venezuelana não preveja que o parlamento possa afastar um presidente, a direita tem se fortalecido em meio à crise política na terra de Hugo Chavez, e busca a troca de governo através de um processo semelhante ao que se passou no Brasil. Outras figuras direita brasileira, como o Ministro das Relações Exteriores do governo golpista, José Serra, também demonstram entusiasmo com a situação na Venezuela.

Janaina teme que através da Venezuela a Rússia possa atacar o Brasil, explorar nossas riquezas e destruir o país. Mas ela pode dormir tranquila por enquanto, pois não é necessário atacar militarmente o Brasil para que isso ocorra. Os próprios parlamentares já aprovaram em Brasília, por exemplo, o fim da exclusividade da Petrobrás na exploração do pré-sal. Além disso Temer tem viajado bastante pelo mundo para colocar o país à venda, pacificamente e sem necessidade de nenhum "ataque". Foi inclusive à China, que tem a Russia como importante aliado.

O presidente golpista até tentou negociar com Putin no encontro dos BRICS, mas não foi recebido pelo presidente russo. Para a tranquilidade de Janaina, caso a Rússia tenha interesse em comprar e explorar riquezas brasileiras, Temer não deve guardar ressentimentos do episódio com Putin, e não deixará de negociar com ele também.

Logicamente, a advogada jamais questionou nenhuma das bases militares americanas nas proximidades do Brasil, tampouco temeu quando o presidente argentino Mauricio Macri abriu seu país para duas novas bases americanas. Talvez porque Janaina, quando foi contratada pelo PSDB para redigir o pedido de impeachment, soubesse que a manobra serviria ao imperialismo americano.

Para além de todo o dinheiro que ganhou com o golpe no Brasil, Janaina demonstra que é uma grande entusiasta do giro superestrutural à direita em curso nos países da América Latina. O espaço para esse giro foi aberto pelos governos pós-neoliberais, como o PT no Brasil, os Kirtcher na Argentina, o chavismo na Venezuela, Evo Morales na Bolívia, entre outros. Pavimentaram o caminho para o avanço superestrutural da direita na medida em que assimilaram os métodos corruptos dos governos capitalistas e se mantiveram no poder aplicando ataques contra os trabalhadores, reprimindo as lutas, burocratizando e paralisando sindicatos e outros movimentos sociais que influenciam. Permitiram ainda que a direita se mostrasse renovada, com figuras pitorescas como Janaina Paschoal ocupando espaço de destaque.

A velha direita de cara nova, porém, não é mais do que defensora dos interesses capitalistas. Chegam ao governo, assim como Temer e Macri, dispostos a rifar direitos trabalhistas e sociais, privatizar os países e precarizar ainda mais a vida da classe trabalhadora, descarregando a crise capitalistas em nossas costas. E Janaina, ainda que com uma performance diferenciada, digna de todas as piadas das quais é alvo, é mais uma ativa representante desse grupo.




Tópicos relacionados

Venezuela   /    Rússia   /    Política

Comentários

Comentar