Política

GOVERNO BOLSONARO

“Oposição do PSB” é faxada: Prefeito de Campinas comemora encontro com Bolsonaro

O prefeito de Campinas Jonas Donizette (PSB) participou da sessão solene na Câmara dos Deputados na última terça, onde tirou uma selfie com Bolsonaro. É nítido o entusiasmo e perspectiva de trabalho conjunto com o presidente recém eleito, como mostram a foto e o texto no perfil do Facebook de Jonas, mas também uma caída na máscara de “oposição” que o PSB afirmou ser em relação ao novo governo.

quarta-feira 7 de novembro| Edição do dia

(Foto: Facebook/Jonas Donizette)

Nesta terça, 6, o prefeito campineiro Jonas Donizette (PSB) aproveitou sua participação na sessão de comemoração dos 30 anos da Constituição, realizada na Câmara dos Deputados, para tirar uma selfie animada junto ao reacionário Bolsonaro, com quem apontou a perspectiva de um trabalho conjunto a partir da Frente Nacional dos Prefeitos que dirige. A foto e publicação no Facebook sobre o momento chamado por Jonas como “histórico” aconteceram no mesmo dia que o PSB publicou sua declaração nacional a respeito do novo governo e se afirmando como “oposição”.

Não é de estranhar que o prefeito de Campinas, que já foi filiado ao PSDB e sempre foi apoiador das políticas de ataques ao serviço público e de repressão dos tucanos, busque se localizar também junto ao governo de Bolsonaro, que tem em São Paulo João Dória como um apoiador ativo. O PSB paulista parece buscar um lugar ao sol em meio à onda conservadora e reacionária que o futuro governo Bolsonaro movimenta, assim o próprio Márcio França atuou ao final da disputa eleitoral ao receber apoio de candidatos do PSL. Trata-se de uma adequação ao novo momento político onde a aproximação da extrema direita corresponde a um programa em comum de impor ataques ainda maiores aos trabalhadores para responder aos grandes capitalistas nacionais e internacionais. Esse programa de aprofundar os ataques do governo golpista se expressa a cada dia, já na transição Temer/Bolsonaro, com a insistência em aprovar a reforma da previdência, o Escola Sem Partido, extinguir o Ministério do Trabalho, realizar privatizações e outras ameaças que os golpistas planejam colocar em prática.

Tal postura evidencia que a declaração do PSB de que será “oposição” a Bolsonaro, assim como também as promessas de Márcio França durante a candidatura para governador paulista, são falsas. Este partido que diz se importar com os direitos sociais é um dos que mais rápido veio se adaptando à nova ordem política que tem como principal alvo os trabalhadores e suas organizações políticas e sociais.

Em Campinas os ataques nacionais têm correspondentes locais, como o Escola Sem Partido, que através do vereador Tenente Santini (PSD) também busca assediar e censurar os professores no município. Além do fato que Jonas, a despeito das demagogias em relação ao “combate aos privilégios” e corrupção dos políticos desfrute de inúmeros cargos comissionados e esteja sendo investigado por um grande escândalo de corrupção envolvendo a administração privada de um dos maiores hospitais da cidade, o Ouro Verde. A postura animada de Jonas junto a Bolsonaro deve alertar ainda mais os trabalhadores e população pobre de Campinas frente aos ataques que pretende ampliar também em âmbito local, como a reforma da previdência dos servidores, já ameaçada no início deste ano.

O momento exige que os trabalhadores, jovens e todos os setores oprimidos que estão sendo ameaçados pelas reformas e medidas reacionárias de Bolsonaro e seus “simpatizantes” se organizem em cada local de trabalho e estudo para construir um plano de luta, exigindo das direções sindicais, como a CUT e CTB, que deixem sua estratégia parlamentar para articular uma forte resistência nas ruas, escolas, fábricas e diversos locais contra cada ataque do novo governo.




Tópicos relacionados

Jonas Donizette (PSB)   /    Campinas   /    Política

Comentários

Comentar