Mundo Operário

CAXIAS DO SUL

Operários fazem assembleia contra as demissões da Guerra S\A em Caxias do Sul

180 funcionários foram demitidos sexta-feira. A justificativa é que a empresa está em recuperação judicial desde junho de 2015. O Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul (PCdoB\CTB) realizou assembleia em frente à empresa na sexta-feira onde os trabalhadores se negaram a aceitar o parcelamento de suas rescisões em doze vezes. Os representantes sindicais dizem que estão estudando formas de resolver o impasse. Porém, não ensaiam nenhuma resistência.

terça-feira 22 de novembro| Edição do dia

Na manhã desta segunda-feira realizaram nova assembleia em frente a empresa, mas, nenhuma votação ou decisão coletiva dos funcionários foi divulgada na página do sindicato. Tudo foi deixado nas mãos da justiça, que se reuniu com o sindicato na tarde desta segunda-feira. Durante a tarde também, os sindicalistas reuniram os 180 demitidos e se comprometeram em não homologar nenhuma rescisão sem pagamento.

A Guerra S\A foi vendida em 2008 para o Axxon Group, um fundo internacional que atua em empresas de médio porte no Brasil implementando “sistemas mais eficientes”, porém totalmente arbitrários para a vida real dos operários que, com sua força de trabalho geram o lucro dos acionistas. Para esse grupo cada operário não passa de um número, por isso, os operários precisam se unir, e exigir do seu sindicato uma política de resistência forte, que vá além de defender o óbvio que é o direito, que defenda os empregos inclusive pautando em assembleia a abertura do livro de contabilidade da empresa e organizando medidas de luta e uma ampla campanha contra as demissões na cidade.

O Esquerda Diário esta à total disposição dos trabalhadores da Guerra para expressar a situação que estão passando.




Tópicos relacionados

Caxias do Sul   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar