#JUSTIÇAPARATOYIN

Oluwatoyin “Toyin” Salau, ativista do movimento Vidas Negras Importam é assassinada nos EUA

O corpo de Salau, de apenas 19 anos, foi encontrado nesse sábado em Tallahassee, na Flórida. A ativista estava desaparecida desde o dia 6 de junho e era reconhecidamente engajada na luta contra a violência racista da polícia.

segunda-feira 15 de junho| Edição do dia

Oluwatoyin “Toyin” Salau era parte do Movement 850, um grupo que se descrevia como "líderes estudantis e moradores da comunidade que trabalham juntos para exigir justiça e mudanças nas leis". Ela participava das manifestações que explodiram nos EUA e em todo o mundo após o assassinato de George Floyd, e foi filmada em frente a uma delegacia recitando nomes de vítimas da violência policial, tais como Floyd e Tony McDade, morador de sua cidade, Tallahassee. Em seguida, dizia: “Eu não quero que seus nomes desapareçam em vão”.

Salau, que estava desaparecida desde o dia 6 de junho, havia tuitado pouco tempo antes de sumir que estava sendo seguida por um homem. Seu corpo foi encontrado nesse sábado junto ao de Victoria Sims, uma mulher de 75 anos.

Após o desaparecimento de Salau, os ativistas exigiram explicações sobre seu paradeiro subindo a tag #JusticeforToyin” nas redes.

Seguiremos lutando por justiça para Toyin e cada vida negra tirada por esse sistema capitalista e racista e sua polícia assassina!

Veja vídeo de Toyin:




Tópicos relacionados

#BlackLivesMatter   /    Black Lives Matter   /    Racismo   /    Racismo EUA   /    Racismo   /    [email protected]   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar