Sociedade

LEGADO DAS OLIMPÍADAS

Olimpíadas: legado de violência e sofrimento psicológico

Vitória Camargo

Coordenadora do CACH - Unicamp

quinta-feira 11 de agosto| Edição do dia

Os relatos dizem respeito a processos de remoção violentos, segundo os quais a prefeitura não apenas se valeu de pressão psicológica contra os moradores, com ameaças e humilhações, mas chegou a utilizar violência física para tirá-los de suas casas. No processo, cortaram água e luz dos moradores para forçá-los a se retirar e muitos deles tiveram de assistir suas casas e espaços que frequentavam todos os dias, como estabelecimentos de trabalho e há até o relato de um Centro Espírita, serem derrubados por máquinas, algumas vezes com pertences dentro.

E não apenas por problemas financeiros passam essas pessoas, a quem a prefeitura deve indenizações. São inúmeros os casos de depressão, síndrome do pânico e outras doenças psicológicas, que afetam profundamente o que costumava ser o dia-a-dia dessas pessoas e que requerem tratamentos caros e difíceis em um Sistema de Saúde marcado por superlotação, cortes e filas.

O sofrimento e a miséria desses trabalhadores que perderam suas casas e muitas vezes seus empregos para o lucro dos capitalistas com obras superfaturadas expressam o legado desse evento no país. A violência dos governos e da polícia que reprimem e assassinam a juventude negra e pobre todos os dias arrancou a perspectiva de futuro daqueles que pagaram pelas Olimpíadas e pagam pela crise todos os dias.




Tópicos relacionados

Olimpíadas   /    Rio de Janeiro   /    Sociedade

Comentários

Comentar