DEVASTAÇÃO AMBIENTAL

Óleo derramado no Nordeste é o maior crime ambiental em extensão já registrado no Brasil

O ponto mais ao norte atingido com petróleo fica em Alcântara (MA) e o mais ao sul, em Esplanada (BA). Já são 138 praias atingidas de 62 cidades do país. A extensão da costa nordestina atingida pelo petróleo desde o começo de setembro chegou a 2.100km dos nove estados da região. É o maior vazamento já relatado no Brasil.

sexta-feira 11 de outubro| Edição do dia

De acordo com uma pesquisa do laboratório de oceanografia da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), o vazamento ocorreu entre os litorais de Pernambuco e Paraíba, a uma distância entre 40km e 50km da costa.

"A gente percebe um ciclo, que o óleo começa a vir em pouco volume, como se fosse algo pontual, e você imagina que não vai passar daquilo. Aí no terceiro dia vem um volume maior, que assusta, com 100, 200 metros de mancha. É um perfil que tem se repetido. Aí passam dois dias e para de chegar", de acordo com Marcelo Amorim, coordenador- geral de Emergências ambientais do IBAMA.

Em Sergipe, estado mais afetado até o momento, um ciclo de manchas que apareceram acabaram cessando, mas depois de uns dias chegaram mais quantidades. Ainda não há certeza de como tudo isso aconteceu.

"Desde domingo [6] não tem chegado mais manchas, mas elas apareceram agora o norte da Bahia. Ou seja, elas estão descendo. Não dá para dizer que está terminando", afirmou Amorim.

Segundo a marinha, a área atingida pelo petróleo é surpreendente. A investigação consiste em descobrir o navio que derramou tamanha quantidade de Petróleo, em águas que agora estão impróprias.

"Para a elucidação dessa ocorrência inédita, que atinge grande parte de nosso litoral, a Diretoria de Portos e Costas conduz um Inquérito Administrativo sobre Acidentes e Fatos da Navegação. Nesse processo, são analisados os dados do tráfego marítimo na área, as informações de patrulha de navios e aeronaves da MB, simulações computacionais sobre as influências de corrente no Atlântico Sul e análise dos perfis químicos dos resíduos coletados", informou a Marinha.

Essa devastação é um caso entre os inúmeros crimes ambientais causados pela sanha do capitalismo que coloca o lucro acima de tudo. Esse ano as queimadas na Amazônia foi um grande exemplo disso, e recentemente no estado de Minas Gerais tivemos duas grandes devastações que tiraram vidas e acabaram com cidades inteiras, como foi com Mariana e Brumadinho. Não podemos mais aceitar que acabem com a nossa natureza e com o nosso planeta.

No último mês foram realizados várias manifestações mundialmente contra a destruição do meio ambiente, que, para serem efetiva, têm que assumir um caráter anticapitalista, pois é esse sistema de exploração que rifa os recursos naturais e a vida dos trabalhadores e dos povos originários para manter o privilégio de poucos. É necessário que todos estejamos juntos, a fim de reagir contra esse governo de extrema direita capacho do imperialismo que tem rifado nossos recursos em nome do capital. Se o capitalismo destrói o meio ambiente, destruamos o capitalismo

Veja mais: Se o capitalismo destrói o meio ambiente, destruamos o capitalismo.




Tópicos relacionados

Crime Ambiental    /    Nordeste   /    Capitalismo   /    Meio Ambiente

Comentários

Comentar