Sociedade

RIO DE JANEIRO

Ódio de igreja evangélica se manifesta contra imigrantes sírios no Rio

Juan Dias

RIO DE JANEIRO

quinta-feira 17 de agosto| Edição do dia

No último sábado um punhado de 20 pessoas integrantes da Igreja Pentecostal Geração Jesus Cristo protestaram contra os imigrantes sírios e o islã na praia do Arpoador em Ipanema. Ao mesmo tempo manifestantes realizavam um outro ato em apoio a Muhammed Ali, imigrante sírio que foi hostilizado por outros vendedores ambulantes enquanto vendia esfirras em Ipanema. Os manifestantes levantavam cartazes que chamavam o Alcorão de "guia de estupro e assassinato" e chamando os muçulmanos de "assassinos" "pedófilos" e "terroristas".

O reacionário e preconceituoso protesto dos evangélicos foi organizado pelo pastor Tupirani que já está convocando um segundo ato intitulado “Passeata II (Escola de Assassinos)". Tupirani já foi condenado pela justiça brasileira por intolerância religiosa contra a igreja, também evangélica “Assembleia de Deus” além de disseminar o ódio na internet contra judeus e outras religiões classificando-as como “adoradoras do diabo” e “seguidores do diabo”.

O reacionarismo e preconceito de Tupirani e seus seguidores não para por ai pois já declarou publicamente a sua homofobia afirmando que a homossexualidade é “Possessão Demoníaca”. Esse caso de intolerância religiosa soma-se a outros casos na cidade do Rio de Janeiro casos que são inclusive política da própria prefeitura como é o caso do decreto do Crivella que afeta as religiões de matriz africana na cidade.




Tópicos relacionados

Imigrantes   /    Refugiados   /    Sociedade   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar