Educação

LUTA SECUNDARISTA

Ocupações atingem 27 escolas na Grande São Paulo

A cidade de São Paulo e a região metropolitana têm, nesta terça-feira, 17, um total de 27 escolas estaduais ocupadas por estudantes, pais e professores em São Paulo e na região metropolitana.

terça-feira 17 de novembro de 2015| Edição do dia

A cidade de São Paulo e a região metropolitana têm, nesta terça-feira, 17, um total de 27 escolas estaduais ocupadas por estudantes, pais e professores em São Paulo e na região metropolitana. Movimentos sociais afirmaram pela manhã que haveria manifestação em mais duas unidades: Escola Estadual Professor Flávio José Negrini e Escola Estadual Professora Neyde Sollit, ambas na região de Campo Limpo, zona sul de São Paulo. Além disso, há uma nova ocupação na Escola Estadual João Kopke, na Alameda Cleveland, região central, confirmada pela Polícia Militar.

Os atos são realizados contra a reorganização das escolas para ter só um ciclo por unidade (ensino fundamental de 1º a 5º ano, de 6º a 9º ano e ensino médio) e o fechamento de 93 unidades em todo o Estado.

Neste fim de semana, em matérias da mídia revelou-se que o plano da secretaria é baseado em um documento de 19 páginas que cruza dados do principal indicador de qualidade educacional de São Paulo, o Idesp, e o desempenho de escolas que tenham ciclo único e mais de um ciclo.

O resultado obtido pela pasta é que as unidades que atendem a determinada faixa etária com exclusividade se dão melhor na avaliação, mas o estudo foi criticado por especialistas por não considerar outras variáveis.

Na Escola Estadual Fernão Dias, em Pinheiros, os estudantes estão ocupados desde o início da semana passada. Uma liminar da Justiça havia liberado a reintegração de posse do prédio na sexta, mas após pedido do Ministério Público Estadual e da Defensoria Pública, o juiz Luis Felipe Ferrari Bedendi voltou atrás e revogou a decisão, uma expressão da grande força que o movimento vem tendo.

Para o início dessa semana já se espera novas ocupações, num movimento que pode se estender bastante questionando as medidas de Alckmin. Para Jessica Antunes, estudante da Letras da USP e parte da Juventude às Ruas, que tem atuado na mobilização: "É preciso dar apoio ativo pra fortalecer as ocupações, pra que cubram a cidade e barrem o projeto do Alckmin. A luta em defesa da educação pública deve chegar até a USP e outras universidade. As entidades estudantis devem se colocar essa tarefa ", disse.

Veja lista de escolas ocupadas até o momento:

1 -E.E. Diadema CEFAM – Diadema
2- E.E. Fernão Dias Paes - ZO
3- E.E. Salvador Allende - ZL
4- E.E. Heloísa Assumpção - Osasco
5- E.E. Castro Alves - ZN
6- E.E. Valdomiro Silveira - Santo André
7- E.E. Dona Ana Rosa - ZO
8- E.E. Antônio Manuel Alves de Lima - ZS
9- E.E. Sílvio Xavier Antunes - ZN
10- E.E. Oscavo de Paula - Santo André
11- E.E. Comendador Miguel Maluhy - ZS
12- E.E. Elizete Oliveira Bertin - Embu
13- E.E. Antônio Adib Chammas - Santo André
14- E.E. Cohab Inácio Monteiro III - ZL
15- E.E. Mary Moraes - ZS
16- E.E. José Lins do Rego - ZS
17- E.E. Coronel Antonio Paiva de Sampaio - Osasco
18- E.E Professora Neyde Apparecida Sollitto - ZS
19- E.E Prefeito Mario Avesani - Santa Cruz das Palmeiras
20- E.E. Flávio José Osório Negrini - ZS
21- E.E. João Kopke - Centro
22- E.E. Délcio de Souza Cunha - Diadema
23- E.E. Padre Sabóia de Medeiros - ZS
24- E.E. Sinhá Pantoja - ZS
25- E.E. Egídio Damy - ZN
26 - E.E. Astrogildo Arruda - ZL
27 - E. E. Marilsa Garbossa Francisco - ZS




Comentários

Comentar