Educação

GREVE E OCUPAÇÃO

Ocupação da Letras coloca em ação uma universidade sob controle estudantil

A ocupação que teve início no dia 11 de maio já contou com uma série de atividades artísticas e culturais que mostram o profundo interesse em um universidade viva que permeia a concepção de universidade dos estudantes.

Cristina Rose

@CrisRoseMiranda

quarta-feira 18 de maio de 2016| Edição do dia

Logo no primeiro dia de ocupação, o calendário de atividades já contava com aulas públicas sobre poesia africana e kung-fu, seguidas por debates sobre mídia, literatura brasileira e música popular nos dias que seguiram.

São muitos os docentes que se prontificaram a apresentar debates que até hoje são, infelizmente, ausentes do currículo da universidade. Nessa semana, reflexões sobre crítica literária, linguística, produção de texto e leituras dramáticas serão realizadas por professores da casa em aulas abertas.

A ocupação não tem vestibular!

Durante todos os dias de atividades, trabalhadores e estudantes de outras universidades e escolas foram super bem recebidos pelos palestrantes e organizadores de oficinas, assim como pelos estudantes que ocupam o prédio. Isso se deve a clareza que há de que o vestibular é um meio excludente do sistema superior e que, durante o período de ocupação, a Letras está aberta para qualquer um que queira ministrar aulas e palestras e também para assistir e participar das atividades.

Além de uma experiência sem vestibular, esse momento de ocupação e também uma pequena prova de como seria a universidade sob controle dos estudantes: aberta, viva, dinâmica e democrática. Isso porque o maior interesse de qualquer estudante é que tudo o que se ensina na universidade possa se transformar em interesse e apropriação pública, assim como que haja espaço para a produção independente de ideias e cultura circular.

O calendário e organizado pelos próprios estudantes, sempre em diálogo com os espaços de representação direta como assembleias e atos, quando a agenda fica mais leve para que todos possam participar desses importantes momentos da luta. participe você também da ocupação, comparecendo as atividades ou ministrando sua própria oficina, curso, palestra ou roda de conversa, entrando em contato com a comissão de atividades pela nossa página no facebook.




Tópicos relacionados

Greve das estaduais paulistas   /    Greve   /    Caell   /    Educação   /    Juventude

Comentários

Comentar