CRISE NO GOVERNO TEMER

Vale tudo pelas reformas: PSDB fica no governo Temer, pelo menos por enquanto, mesmo com exército em Brasília

Após reunião na Câmara dos Deputados na Brasília em chamas desta quarta, dia 24, a bancada do PSDB junto ao presidente nacional do partido, senador Tasso Jereissati (CE), decidiu dizer a Temer que fica.

quarta-feira 24 de maio| Edição do dia

Mesmo com Temer atingido pela delação de Joesley Batista e seus abalos na crise política brasileira, a sinalização da bancada do PSDB mostra, como o objetivo maior de suas negociatas, passar da maneira que for as reformas trabalhista e da previdência. A declaração de Jereissati não deixa dúvidas sobre as intenções do partido:"A nossa preocupação é ter estabilidade, calma e não afetar ainda mais o momento de tremenda fraqueza que as instituições estão passando. Toda nossa movimentação é no intuito de diminuir e resolver a crise, sem desconhecer os gravíssimos acontecimentos. Esse foi um consenso dentro da bancada".

Mas ao mesmo tempo deixou claro que acompanharão os desdobramentos da crise política “de hora em hora”. Ou seja, fica claro que a posição com a qual os tucanos fecham, independente dos desdobramentos, é a de passar os ataques à aposentadoria e aos direitos trabalhistas.

A greve geral de 28 de abril e a juventude e os trabalhadores que foram ocupar Brasília neste dia 24 mostram o caminho para combater esses ataques. As centrais sindicais tem que convocar e organizar uma nova greve geral até derrubar Temer, sua corja e suas reformas. Não vamos trabalhar até morrer e não vamos pagar pela crise!




Tópicos relacionados

PSDB   /    Governo Temer   /    Crise no governo

Comentários

Comentar