Política

DECLARAÇÃO DE ALEXANDRE DE MORAES

O uso político da lava jato

As declarações do Ministro da Justiça não deixam mais margem para dúvida. É evidente o uso político da lava jato há menos de uma semana das eleições municipais.

Maíra Machado

ABC paulista

terça-feira 27 de setembro| Edição do dia

O Ministro Alexandre de Moraes estava justamente em Ribeirão Preto, em reunião com o MBL, quando anunciou que essa semana haveria uma nova operação da lava jato. E eis que na segunda-feira pela manhã a PF prendeu Antonio Palocci, político de Ribeirão Preto.

Na sexta-feira ele estava em reunião com o superintendente regional da Polícia Federal em São Paulo, Disney Rosseti. Dois dias antes das declarações. E quer que acreditemos que não trataram de nenhum assunto relativo à lava jato.
Vários setores golpistas tentaram minimizar o impacto dessas declarações. Gilmar Mendes resolveu emitir sua opinião sobre o caso também, afirmando que “não acredito que tenha havido vazamento” como se fosse mero chute a afirmação do ministro. Em uma operação coordenada para minimizar o fato, Merval Pereira se colocou no mesmo sentido.

Caiu tão mal a declaração do ministro, que isso gerou mais uma crise para o governo Temer. Nesta terça-feira fizeram uma reunião em Brasília para tentar amenizar o fato. Foi o cúmulo do cinismo a declaração de Temer, de que se demitisse o ministro seria a confissão por parte do governo de houve vazamento da lava jato.

Tudo isso só reafirma o que já sabemos: o uso político da lava jato para fortalecer os candidatos golpistas nas eleições municipais deste final de semana.




Tópicos relacionados

Eleições 2016   /    Governo Temer   /    Investigando a Operação Lava-Jato   /    Michel Temer   /    Operação Lava Jato   /    ABC paulista   /    Política

Comentários

Comentar