Internacional

ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS ESTADOS UNIDOS

O republicano Reince Priebus e o racista Steve Bannon, os nomes eleitos por Trump

Priebus será o chefe de gabinete. É o atual presidente do Comitê Nacional Republicano e um homem do establishment. Steve Bannon, ex-diretor de um portal de extrema direita, foi nomeado como estrategista chefe e conselheiro sênior.

segunda-feira 14 de novembro| Edição do dia

O líder republicano Reince Priebus, 44 anos, será o chefe de gabinete, um posto chave na nova administração do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump. Atualmente, Priebus, preside o Comitê Nacional Republicano (CNR), foi o principal aliado do magnata durante sua campanha nas primárias, quando muitos membros do Partido Republicano abandonavam o apoio à candidatura de Trump. O cargo de chefe de gabinete ou chief of staff não requer a confirmação do Senado.

Além disso, o presidente eleito nomeou Steve Bannon, 62 anos, quem foi chefe de campanha do magnata e diretor do portal de notícias da direita extremista Breitbart News, como estrategista chefe e conselheiro sênior.

“Steve e Reince são dois líderes altamente qualificados que trabalharam muito bem juntos durante a campanha eleitoral que nos levou a nossa vitória” nas eleições, destacou Trump em um comunicado. E agregou “estou deslumbrado de que minha grande equipe de campanha continue ao meu lado liderando nosso país. Ambos estarão comigo na Casa Branca enquanto trabalhamos para voltar a fazer dos Estados Unidos um país grande”, concluiu Trump.

Por sua vez, Priebus declarou logo após o anúncio que se proporá “substituir” a reforma na saúde do presidente, Barack Obama, e “destroçar o terrorismo islamista radical”.

Priebus, durante os meses de campanha, foi um dos poucos membros do aparato do partido que se manteve fiel ao candidato. Com Bannon, a extrema direita xenófoba e nacionalista terão seu homem direto na Casa Branca.

A nomeação de Bannon, ainda que de menor relevância que o chefe de gabinete, é significativa. Indica que entrará na Casa Branca quem já dirigiu um meio de comunicação próximo da chamada alt right, a nova direita radical que agita o antissemitismo ou a supremacia branca.

Priebus será o encarregado de traduzir as prioridades do novo presidente à maioria republicana e garantir que se ponha em marcha a agenda presidencial. O líder republicano, inclusive, já tem laços estreitos com o presidente da Câmara de Representantes do Congresso, Paul Ryan.

Trump, quem assume em 20 de janeiro e sucederá o presidente Barack Obama, teve uma semana de encontros para organizar a transição à presidência desde o inesperado triunfo eleitoral de terça-feira passada sobre a democrata Hillary Clinton, incluindo um encontro na Casa Branca com o atual presidente e sua esposa, Michelle Obama.

Tradução: Alexandre Costela




Tópicos relacionados

Donald Trump   /    Internacional

Comentários

Comentar