Economia

O “namoro” de Bolsonaro e Guedes para nos fazer trabalhar até morrer

Bolsonaro e Paulo Guedes reafirmam sua unidade nos ataques contra os direitos da classe trabalhadora.

terça-feira 8 de janeiro| Edição do dia

Bolsonaro começou seu discurso na cerimônia de posse dos presidentes do Banco do Brasil, da Caixa e do BNDES com uma piada que resume bem os eventos do seu governo: “com toda certeza o evento está bastante concorrido porque são os homens do dinheiro que estão aqui”. Os homens do dinheiro são aqueles que o colocaram no poder como herdeiro do golpe institucional e das eleições manipuladas, e agora esperam ansiosamente pelas recompensas em formas de duros ataques contra a classe trabalhadora, especialmente com a reforma da previdência.

Confira o vídeo do discurso de Bolsonaro aqui

Logo em seguida Bolsonaro agradeceu o ministro da economia Paulo Guedes, por ter acreditado nele quando o conheceu há dois anos atrás. Relembrando a amizade nascida dos acordos contra a classe trabalhadora em favor dos interesses dos capitalistas na política e na economia. Seu discurso foi para deixar claríssimo que não existe nenhuma divisão entre Bolsonaro e seu “Posto Ipiranga”, reafirmando que a quase dois anos eles começaram “a namorar no bom sentido”, o sentido dos ataques contra os trabalhadores.

Bolsonaro ressaltou como no seu governo as equipes ministeriais tiveram a liberdade para escolher seus integrantes, como exemplo de que em seu governo não existe o “toma lá da cá” dos acordões políticos do regime brasileiro. E ainda afirmou com a certeza de quem tem ao seu lado o apoio dos ricos e poderosos, que o Brasil vai dar certo, já que a missão do seu governo é semelhante a “bater um pênalti sem goleiro” e que se não fosse dar certo eles não estariam ali.

Declarou que acredita na equipe composta por Paulo Guedes “para conduzir o destino do nosso Brasil”. E fez um chamado a toda sua equipe de que “nós não podemos errar”, pois eles são a grande aposta da burguesia para implementar os ataques contra a classe trabalhadora e Bolsonaro tem muito orgulho dessa missão que lhe foi incumbida, juntamente com Paulo Guedes.

No mesmo evento, Paulo Guedes declarou que: "Todo mundo acha que tem uma discussão entre nós, uma briga. Nós somos uma equipe muito, muito sintonizada. E isso acabou indo parar nos próprios discursos do presidente [Bolsonaro]. E é como nós pensamos. Nós estamos pensando em futuras gerações e não na próxima eleição".

O namoro de Guedes e Bolsonaro só pode significar uma coisa para os trabalhadores e toda população pobre e oprimida em nosso país: grandes ataques contra nossos direitos. A corrida para aprovação da reforma da previdência já tem data marcada, e até fevereiro, precisamos organizar nossas forças para mostrar o peso da nossa classe e impedir a aprovação desse grande ataque. Cabe às centrais sindicais convocarem em todos os locais de trabalho e estudo assembleias e comandos de base para organizar a luta, preparando uma greve geral contra a reforma da previdência.

Foto: Eraldo Peres/AP




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Jair Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Economia   /    Política

Comentários

Comentar