Teoria

139° ANIVERSÁRIO DE SEU NASCIMENTO

O jovem Trotsky: da paixão pelos livros a Revolução

Ele nasceu em 7 de novembro, o mesmo dia da Revolução Russa, mas em 1879 na aldeia russa de Ianovka. Aos 26 anos, ele foi dirigente do soviete de Petersburgo. Quando jovem, ele adotou ideias revolucionárias.

quarta-feira 7 de novembro| Edição do dia

Ele nasceu em 7 de novembro, o mesmo dia da Revolução Russa, mas em 1879 na aldeia russa de Ianovka. Aos 26 anos, ele foi dirigente do soviete de Petersburgo. Quando jovem, ele adotou ideias revolucionárias.

“Os eventos da minha vida pessoal estão tão incrustados no enredo dos acontecimentos históricos, que é quase impossível arrancá-los disso”.

O dia em que, ao lado de Lenin, dirigiu a tomada do Palácio de Inverno em 1917, Leon Trotsky celebrou seu 38º aniversário. Parecia reafirmar-se aquela definição que o grande revolucionário russo fez em autobiografia Minha vida, a tal ponto que a data de seu nascimento se inseria “no enredo dos acontecimentos históricos” e os párias do mundo chegaram ao poder na Rússia liderados pelo Partido Bolchevique e. No entanto, o próprio Trotsky se encarregou de afirmar: “O dia do meu nascimento coincide com o da Revolução de Outubro. Os míticos e os discípulos de Pitágoras podem tirar as conclusões que desejarem. Eu não percebi essa curiosa coincidência até três anos depois dos dias de outubro”.

Trotsky viveu até os 9 anos de idade no campo e sua vida mudou substancialmente quando ele foi enviado, em 1888, para estudar em Odessa, longe de sua família e de seu lar. Conta que o “desejo nascente de ver, saber, conquistar, encontrou sua saída nessa incansável absorção de textos impressos; minhas mãos e os meus lábios de menino estavam sempre tensos em direção ao cálice da invenção literária. Tudo o que a vida deveria dar-me de interessante, emocionante, alegria ou tristeza, já estava contido nas emoções de minhas leituras, alusivamente, como uma promessa, como um esboço tímido e leve a lápis ou aquarela”.

Cursou o sétimo ano da escola em Nikolaiev, onde começou sua militância. Essa experiência lhe permitiu estabelecer contato íntimo com os trabalhadores de base enquanto dava os primeiros passos no caminho para a revolução. Um ano depois de sair da escola, em 1989, foi preso pelo regime czarista. Sua Universidade foi a prisão, a deportação e a emigração.

Enquanto estava na prisão, as coisas começaram a mudar, os estudantes estavam se manifestando, a social-democracia se fortalecendo e se fundindo cada vez mais com o movimento dos trabalhadores. As prisões estavam lotadas de trabalhadores. Na prisão de Moscou, dedicou-se a avançar em seus estudos teóricos, lá ouviu falar pela primeira vez de Lenin e leu seu livro sobre o desenvolvimento do capitalismo russo. No outono de 1900, foi deportado para a Sibéria e será nessas terras congelantes que o marxismo se tornará a base de sua concepção do mundo e seu método de pensamento.


Trotsky com sua primeira esposa Aleksandra Sokolóvskaya

Diante da notícia de que fora fundado um jornal, o Iskra, órgão marxista que se propunha a construir uma organização centralizada de revolucionários profissionais e, ao receber o panfleto de Lênin intitulado "O que fazer?", consagrado a examinar a mesma questão, Trotsky começou a organizar sua fuga da Sibéria para se juntar a eles. Ele conta que no trem “Carregava nas mãos um volume de Homero traduzido em hexâmetros russos por Gniedich e no bolso levava um passaporte com o nome Trotsky, que eu havia escrito ao acaso, sem prever que esse nome permaneceria comigo por toda minha vida”.

Depois de uma longa jornada em trenó, trens e navios chegaram, em 1902, a Londres e se somaram à equipe editorial do Iskra com Lênin e outros importantes líderes da social-democracia russa como Plekhanov, Zasulich e Martov.


Trotsky em 1902

Sobre aqueles anos recorda “Na prisão tive que iniciar os estudos revolucionários começando quase com o ’abc’. Dois anos e meio de prisão e dois anos de exílio me deram a oportunidade de estabelecer a base teórica de uma filosofia revolucionária. A primeira emigração foi para mim uma grande escola de política. Sob a liderança dos melhores marxistas revolucionários aprendi a contemplar eventos com o enfoque de grandes perspectivas históricas e em função das relações internacionais”.

Bolcheviques e Mencheviques

No ano seguinte, em 1903, no II Congresso do RSDLP (Partido Social-Democrata Russo) surgiram duas fações, cujas diferenças pareciam girar em torno de questões organizativas, mas expressavam diferenças estratégicas. Na eleição do Comitê Central e do Comitê de Redação do Iskra, a votação dividiu-os entre os bolcheviques (maioria liderada por Lênin) e os mencheviques (minoria liderada por Martov). Trotsky conta que “Quando o Congresso de Londres de 1903 foi celebrado, uma revolução era ainda diante de meus olhos, em grande parte, uma abstração teórica. O centralismo leninista ainda não me chegava como uma clara concepção revolucionária e meditada independentemente. Mas, a necessidade de entender um problema e tirar todas as conclusões indispensáveis sempre foi, me parece, o requisito mais importante da minha vida espiritual”.

O Segundo Congresso separou-o de Lênin por vários anos. Contudo, em suas reflexões posteriores, afirmou que “Quando considero o passado como um todo, não me arrependo do que aconteceu. Voltei a Lênin mais tarde do que muitos outros, mas fiz isso em meu próprio caminho, tendo percorrido e refletido sobre a experiência da revolução, da contrarrevolução e da guerra imperialista. Graças a essas circunstâncias, retornei a ele com mais firmeza e seriedade do aqueles seus ”discípulos" que, enquanto viveram, imitavam o professor, as vezes de maneira incorreta, em suas palavras e gestos; e que, após sua morte, se revelaram como impotentes epígonos e instrumentos inconscientes nas mãos das forças inimigas".

1905: a primeira Revolução Russa

O ano havia começado com uma greve dos trabalhadores da fábrica de Putilov, que rapidamente se espalhou para o resto dos trabalhadores em Petersburgo. No domingo, 9 de janeiro, cerca de 200.000 trabalhadores se mobilizaram para pedir a Czar Nicolau II maiores liberdades públicas. O governo desatou uma feroz repressão contra a multidão em que centenas foram mortos e feridos. "Domingo Sangrento" foi o primeiro ato do processo revolucionário. Os três meses mais concentrados da revolução de 1905 serão outubro, novembro e dezembro.

A classe operária exigia o fim da autocracia, a separação de Igreja e Estado, a anistia para os lutadores presos e a convocação de uma Assembléia Constituinte. Foi no calor desta greve geral que surgiu o primeiro Soviete (Conselho) de deputados operários. Ele se reuniu pela primeira vez em 13 de outubro na cidade de Petersburgo e se tornou o principal centro de dirigente das atividades de greve. Sua representação foi constituída com base em unidades de produção que eram o principal elo que existia entre as massas proletárias, se elegia um delegado a cada quinhentos trabalhadores e seu mandato era revogável.

Antes de Trotsky chegar da Finlândia, o soviete era presidido por Jrustalev, um jovem advogado, que não foi mais do um personagem episódico da revolução. Ocupava a direção, porém não lavava a direção política. Jrustalev é preso e, Trotsky com apenas 26 anos, torna-se presidente do Soviete.

A greve de outubro mostrou a hegemonia do proletariado na revolução burguesa enquanto a repressão das mãos do Exército e dos Cossacos se acelerou cercando Petesburgo, prendendo os membros dos sovietes, entre eles Trotsky. O Soviete de Moscou convocou para uma greve geral para tentar transformá-la em uma insurreição, contudo a ausência de uma aliança com o campesinato e a impossibilidade de obter armas para enfrentar o exército levou à sua derrota em dezembro 1905 depois de longas semanas de intensos combates.

Uma das lições fundamentais que essa importante experiência deixou para trás foi a necessidade indispensável da que a classe trabalhadora conte com um partido revolucionário com organização, experiência e influência suficientes para alcançar o triunfo através de uma estratégia para a tomada do poder.

Fazendo um balanço do seu envolvimento nesta revolução Trotsky escreve "Eu retornei à Rússia em fevereiro de 1905, vários meses antes de os outros líderes emigrados... Entre os camaradas russos não havia um só com quem eu poderia aprender alguma coisa. Pelo contrário, eu tive que assumir a posição de professor... A luta me deu a ocasião de aplicar, pela primeira vez de um modo direto, os fundamentos teóricos adquiridos na prisão e no exílio, o método político assimilado durante a emigração. Os eventos que estavam acontecendo não me pegaram de surpresa. Sua mecânica não me era desconhecida - pelo menos, eu assim eu acreditava; Parecia vê-los refletidos na consciência dos trabalhadores e previa em linhas gerais o que seria amanhã. De fevereiro a outubro, minha intervenção nos eventos teve um caráter predominantemente literário. Em outubro lancei-me ao grande vórtice, que representava para mim a maior prova. As resoluções tiveram que ser adotadas sob o fogo do inimigo. Não posso deixar de enfatizar aqui que consegui tomá-los como determinações que se impunham por elas mesmas. Eu não me voltava para saber o que os outros diriam, eu raramente consultava alguém; tudo se passava apressadamente... eu não precisava mais aprender como discípulo, mas como professor. Quando fui preso pela segunda vez, eu tinha vinte e seis anos de idade. Agora, até o velho Deutsch já me considerava como homem, porque na prisão ele parou de me chamar de "menino" e me chamava pelo meu nome e apelido patronímico ".

Com 26 anos, Trotsky passou pelas prisões czaristas, pela deportação na Sibéria e pela emigração, dirigiu o soviete de Petesburgo e, durante esses anos, formou definitivamente a ideia que tinha sobre as forças internas da sociedade russa e as perspectivas da revolução nesse país. Havia desenvolvido os aspectos essenciais da teoria da revolução permanente. Porém, este foi apenas o início de sua apaixonante vida atravessada por crises, guerras e revoluções. O que em 1917 alcançará, junto a Lenin, como um dos principais protagonistas da revolução triunfante.




Tópicos relacionados

trotskismo   /    León Trotsky   /    Leninismo   /    Trotsky   /    Marxismo   /    Teoria

Comentários

Comentar