Opinião

DEBATE COM O PCO

O internacionalismo do Esquerda Diário incomoda a esquerda “nacional-trotskista”

O PCO se sente profundamente incomodado porque o Esquerda Diário é parte de um projeto internacional impulsionado por uma organização internacional que atua na América Latina e na Europa, golpeando as burocracias sindicais os exploradores e seus agentes imperialistas com um só punho. Enquanto o Esquerda Diário reflete diariamente a batalha em comum de organizações de distintos países para fundir o marxismo com setores de massas, o PCO não tem nenhuma organização irmã, renegando abertamente a tarefa de construção internacional.

Daniel Pereira

São Paulo

quarta-feira 24 de junho de 2015| Edição do dia

O Partido da Causa Operária publicou um artigo onde diz que o Esquerda Diário é uma “fraude”. Como argumento, alega que, a partir de uma suposta “investigação” da redação do Causa Operária, descobriram que o Esquerda Diário no Brasil utiliza estatísticas falsas para medir seu crescimento exponencial, que em poucos meses de existência superou os sites dos partidos de esquerda mais conhecidos no Brasil, como o PSOL e o PSTU; e também do Partido da Causa Operária, uma organização menor, mas que também tem legalidade.

Compreendemos que o PCO esteja decepcionado. É auspicioso que o PCO queira buscar explicações do porque uma organização como o Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT, ex-LER-QI), que nem mesmo tem legalidade em função da reacionária mudança da legislação eleitoral, é capaz de impulsionar um diário digital superior ao site de partidos que recebem relevantes montantes de dinheiro do Estado e se apresentam nas eleições desde a década de 90 (no caso do PCO, segundo o site da Justiça e Eleitoral, somente em 2014 o PCO recebeu 514 mil reais do fundo partidário). Mas, infelizmente, como não conseguiram achar uma resposta, para aliviar sua raiva, semeiam todo tipo de confusão, que somos obrigados a esclarecer.

Ignorância e confusão

O PCO se incomoda especialmente com o fato de que, segundo o site de estatísticas www.trafficestimate.com, que é público e todos podem utilizar, com menos de um mês de lançamento do Esquerda Diário no Brasil, este já superava o número de acessos dos sites do PSTU, do PSOL e do PCO. Naquele então, o Esquerda Diário no Brasil já contava com 113 mil acessos, enquanto o site PCO tinha 83 mil.

Como era impossível mudar essa realidade, o PCO descobriu que no site de estatísticas do Alexa, que também é público, a rede internacional de diários digitais chamada Esquerda Diário tem cerca de 70% de suas entradas provenientes da Argentina. Nesse momento a redação do Causa Operária pulou de alegria e comemorou: “Estão utilizando as entradas do site argentino para inflar as estatísticas do site brasileiro!”.

O que os redatores do Causa Operária não conseguiram perceber em sua científica investigação é que existe uma “pequena” diferença entre pesquisar as estatísticas do Esquerda Diário no Brasil, que se identifica pelo link www.esquerdadiario.com.br, e pesquisar as estatísticas da rede internacional de diários digitais chamada Esquerda Diário, que se identifica pelo link www.laizquierdadiario.com. Queremos acreditar que os redatores da Causa Operária fizeram essa confusão por ignorância, e não por má fé, já que mentir não é algo próprio da tradição do trotskismo, e sim do stalinismo.

A realidade é cruel, mas não pode ser evitada

Se os redatores do Causa Operária tivessem se dado o trabalho de verificar quantos acessos a rede internacional do Esquerda Diária tem no site de estatísticas www.trafficestimate.com, veriam que a rede internacional de diários digitais tem um número de visitas que inclui os acessos de vários países, dos quais o Esquerda Diário no Brasil é apenas uma parte.

Segue abaixo como seria essa leitura caso fosse feita no dia 24/06, mostrando que o site do PCO atualmente tem menos da metade das visitas do Esquerda Diário no Brasil. Não achamos que seria correto comparar uma rede internacional com um site nacional, e por isso nunca o fizemos. Se o PCO tivesse algo de internacional poderíamos fazer essa comparação.

Caso os redatores do Causa Operária achem insuficiente analisar apenas por um site de estatísticas, colocamos abaixo o mesmo tipo de comparação feita pelo Alexa, que eles mesmos usaram em sua “investigação”. No gráfico do Alexa, que analisa a evolução dos sites nos últimos seis meses, fica evidente o que os redatores do Causa Operária se esforçaram para não ver que quando o Esquerda Diário no Brasil (www.esquerdadiario.com.br) foi lançado em março, quando a rede internacional (www.laizquierdadiario.com) já existia desde o ano passado.

Uma rede internacional. Repetimos: INTERNACIONAL.

Aconselhamos aos redatores do Causa Operária em particular a leitura do artigo que publicamos recentemente no Esquerda Diário sobre a expansão, a novos países e novas línguas, da rede internacional da qual fazemos parte. Reproduzimos abaixo uma tabela que mostra essa expansão segundo dados de outro site de estatísticas, o Google Anaytics:

Por que a maior parte dos acessos provém da Argentina?

Não temos nenhum motivo para esconder que a maior parte dos acessos da rede internacional do Esquerda Diário provém da Argentina (ainda que atualmente esse percentual vem sendo cada vez menor). Muito pelo contrário, ao invés de ficarmos indignados com isso como parece acontecer com os redatores do Causa Operária, temos muito orgulho, pois expressa a fusão das ideias revolucionárias com setores do movimento de massas numa escala que não existe não somente no Brasil, e tampouco em qualquer outro país do mundo.

Isso se dá porque o Esquerda Diário na Argentina, impulsionado pelo Partido de Trabalhadores Socialistas (PTS), organização irmã do MRT, reflete a atividade de um partido que está estruturado em centenas de fábricas e serviços estratégicos nas principais concentrações operárias do país e tem deputados federais, deputados estaduais e vereadores que colocam suas bancadas a serviço da luta de classes.

A expansão brasileira do Esquerda Diário

Para ajudar os redatores do Causa Operária a refletirem mais profundamente sobre os motivos do sucesso do Esquerda Diário no Brasil (já que em nível internacional parece que não se preocupam muito em refletir), compartilhamos abaixo alguns dados do Google Anaytics que mostram a expansão nacional desse novo meio de comunicação.

Primeiro uma visão da extensão por cidades:

E também em números por estados:

Por que o PCO considera o internacionalismo do MRT uma “fraude”?

Como resultado de sua “investigação”, os “redatores” do Causa Operária afirmam que o Esquerda Diário é uma “fraude morenista”, em alusão à corrente criada por Nahuel Moreno, com a qual a Fração Trotskista – Quarta Internacional rompeu há mais de 20 anos. Acabamos de ver que o confusionismo que tentam semear, como diria Madame de Staël, “pior que um crime, é uma estupidez”.

Entretanto, essa ignorância do PCO não é fortuita. É uma consequência inexorável da estreiteza nacional característica do partido que constroem, seguindo a tradição lorista e altamirista da qual provêm (criada por Guillermo Lora e Jorge Altamira). Tradição essa que está anos luz das lições deixadas por Leon Trotsky: “No plano internacional o centrista (...) Não compreende que na época atual somente é possível construir um partido revolucionário nacional como parte de um partido internacional”. (O centrismo e a IV Internacional, 1934).

O PCO se sente profundamente incomodado porque o Esquerda Diário é parte de um projeto internacional impulsionado por uma organização internacional que atua na América Latina e na Europa, golpeando as burocracias sindicais os exploradores e seus agentes imperialistas com um só punho. Enquanto o Esquerda Diário reflete diariamente a batalha em comum de organizações de distintos países para fundir o marxismo com setores de massas, o PCO não tem nenhuma organização irmã, renegando abertamente a tarefa de construção internacional.

O partido de Rui Costa Pimenta nem mesmo tem o internacionalismo organizativo de grupos como a Liga Internacional dos Trabalhadores (LIT, cujo principal impulsionador é o PSTU brasileiro), que se esforça por mostrar algumas siglas em outros países, mas sem poder refletir uma prática revolucionária em comum, muito menos diariamente. E nem tampouco de grupos como a Coordenadora pela Refundação da IV Intenacional (impulsionada pelo PO argentino), que tem um “internacionalismo de ocasião”, com dois ou três grupos impotentes até mesmo para fazer uma campanha internacional em solidariedade ao povo grego, que anunciam de vez em quando alguma conferencia internacional que nunca se realiza, ou vão às “conferências” que são convocadas por reformistas e centristas de todo tipo.

O Partido da Causa Operária nem mesmo é capaz de explicar porque rompeu com o Partido Obrero da Argentina há muitos anos atrás, sendo que este último alega como motivo da ruptura o ridículo argumento de que seus colegas brasileiros tinham parado de pagar a cotização à organização internacional. Consequentemente, o “internacionalismo” do site do Causa Operária não pode ir muito além de reproduzir conteúdos de agências internacionais de notícias.

Esse nacional-trotskismo brasileiro leva o PCO a ser um apêndice do PT ao falar tanto de “golpes de Estado” que só estão na cabeça de Rui Costa Pimenta. Entram na política do lulismo, que enquanto ataca brutalmente através de Dilma e Levy, cinicamente acusa a direita de “desestabilizar” o governo do PT. Uma mera argúcia para evitar o provável desastre eleitoral que terão nas eleições do ano que vem e bloquear o desenvolvimento de uma alternativa ao PT a partir da mobilização independente da classe operária. Enfim, todos os nacional-trotskistas terminaram sendo conselheiros de algum governo burguês. O PCO não é uma exceção, e por isso destila tanto ódio contra os trotskistas internacionalistas do MRT e da FT-QI.




Tópicos relacionados

PCO   /    Opinião

Comentários

Comentar