Internacional

CORONAVÍRUS NO MUNDO

O desastre social no Equador devido ao coronavírus continua

À medida que a catástrofe social piora, o governo omite os dados oficiais. Situações dramáticas são vividas na cidade costeira de Guayaquil.

quinta-feira 30 de abril| Edição do dia

Até esta terça-feira, segundo fontes oficiais do Ministério da Saúde, os contágios em todo o Equador atingiram 26.703, dos quais 871 foram fatais. A catástrofe social na cidade costeira de Guayaquil não para.

De acordo com uma fonte anônima que trabalha em um dos hospitais do porto, “cada enfermeira passou a cuidar de 15 a 30 pacientes em um turno de 24 horas. Tantas pessoas vieram que, quando você as canalizava (com soro), elas praticamente morriam em suas mãos. As pessoas (doentes) estão sozinhas, tristes, a medicação causa estragos no gastrointestinais, algumas defecam; sentem-se mal e pensam que sempre serão assim e veem que a pessoa ao lado começa a se afogar e gritar que precisam de oxigênio”.

Diante do drama humano que está sendo vivido no Equador, o governo nacional decidiu suspender a emissão de dados oficiais nos dias 24 e 25 de abril, dado o número de doentes, mortos e o transbordamento do sistema de saúde. Essa ação mostra o desdém do governo Lenin Moreno diante de uma realidade que está que piora a cada dia.

Moreno é um dos responsáveis pela catástrofe que os trabalhadores equatorianos estão enfrentando, especialmente em Guayaquil. Desmantelando os serviços públicos, garantindo os lucros de grandes empresários e pagando religiosamente a dívida ilegítima ao FMI, ele deixou a grande maioria à mercê da doença.

Essa pandemia mostrou que a burguesia equatoriana não tem interesse em resolver a crise em favor da maioria; pelo contrário, seu único interesse é preservar e aumentar seus lucros.

A saída deste panorama sombrio só pode estar nas mãos dos trabalhadores e do povo. Começando com a nacionalização de todos os serviços de saúde e essenciais sob o controle de seus trabalhadores. Essa solução é a única realmente racional, pois consiste nos principais envolvidos na prestação de serviços e na produção de produtos básicos, que melhor conhecem o processo, se encarregam de criar o que é realmente necessário para enfrentar o problema. pandemia.

Artigo publicado originalmente em espanhol no portal La Izquierda Diario Argentina.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Internacional

Comentários

Comentar