Mundo Operário

MATERIAL TÓXICO PROIBIDO EM CONSTRUÇÕES

O cancerígeno Amianto é finalmente proibido no Brasil

Descoberto como cancerígeno em 1906, vários países mudaram suas leis em relação ao consumo de amianto, mas não em relação a produção. Mais de 100 anos depois, o Amianto é banido nacionalmente.

quinta-feira 30 de novembro| Edição do dia

Conhecido pelo seu potencial cancerígeno, o Amianto é uma fibra mineral muito comum na indústria têxtil e de construção. Foram documentados diversos casos de cânceres de pulmão, ovário e laringe e doenças respiratórias em pessoas que tiveram contato com o amianto. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem (29) proibir a extração, a comercialização e a distribuição do amianto da variedade crisotila em todo o País. Foram 7 votos favoráveis à proibição contra 2 contrários.

O amianto é proibido em 60 países do mundo. O Canadá, por exemplo, reconhecendo o risco do amianto, reduziu a 3% a exposição, mas é responsável por 98% das exportações. As indústrias das grandes potências capitalistas, como França, Canadá e Alemanha, proíbem o consumo de amianto em seu território, mas continuam adoecendo trabalhadores nas fábricas produzindo amianto para exportação.

Já no Brasil, 15,6% de toda a fabricação mundial é de origem brasileira e a produção beneficiada chegou a 304 mil toneladas e o consumo, a 165 mil toneladas. Cerca de 99,5% dessa produção ainda é empregada na fabricação de telhas estruturais, telhas onduladas e caixas d’água de fibrocimento. Cerca de 50% desse material no país ainda é feito com a variedade crisotila. A indústria travou seus esforços para propagar a variação crisotila como inofensiva, entretanto, diversos estudos da Organização Mundial de Saúde comprovaram que todas as variedades de amianto são cancerígenas.

Quem votou contra proibir uma substância cancerígena que já foi documentada como agente de diversas doenças em trabalhadores?

Um dos ministros foi Marco Aurélio, e o outro foi Alexandre de Moraes, o mesmo que defende que homossexuais sejam tratados de maneira diferente no processo de doação de sangue e que acha justificável tortura para obtenção de informações pela polícia, votou contra a proibição do amianto.

Antes da França proibir, estimava-se que 2 mil pessoas morriam por ano devido ao contato com amianto. Os maiores prejudicados são os trabalhadores, que trabalham em condições insalubres e perigosas, expostos à inalação desta substância assassina. O amianto ser proibido no Brasil apenas depois de mais de 100 anos da descoberta da toxicidade desta matéria escancara a relação de exploração e de descaso das indústrias capitalistas com a vida dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

STF   /    Saúde   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar