Política

APAGÃO

O apagão foi causado por imprudência de empresa privatizada, denunciam trabalhadores

Até o momento a maior parte dos nordestinos segue sem energia nenhuma. O apagão de hoje iniciado às 15h48minutos é um resultado direto da privatização argumentaram sindicalistas citados em matéria da CUT. A sanha de Temer em entregar a Eletrobras aos capitalistas estrangeiros ameaça multiplicar este tipo de ocorrência.

quarta-feira 21 de março| Edição do dia

Publicada às 20h45

Até o momento a maior parte dos nordestinos segue sem energia nenhuma. O apagão de hoje iniciado às 15h48minutos é um resultado direto da privatização argumentaram sindicalistas citados em matéria da CUT. A sanha de Temer em entregar a Eletrobras aos capitalistas estrangeiros ameaça multiplicar este tipo de ocorrência.

Todo o país, com exceção de Roraima, que é um estado isolado do sistema nacional de energia, foi atingido pelo apagão. No sul e sudeste o apagão durou menos de meia-hora, no norte algumas horas e no extremo das linhas de transmissão, no Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, a população segue às escuras.

A CUT, central sindical que organiza a maior parte dos sindicatos eletrecitários do país publicou nota que cita trabalhadores e sindicalistas afirmando que as práticas adotadas nesta tarde em Belo Monte não são autorizadas na Eletrobras. Diz a nota:

"De acordo com os trabalhadores do Sistema Eletrobras, a falha começou em uma linha de transmissão operada pela empresa privada chinesa State Grid, que opera Belo Monte/Furnas, após a realização de testes em pleno horário comercial.

Os trabalhadores, via grupos de whatsapp, explicam que para a Eletronorte ou qualquer outra operadora da Eletrobras fazer um “reaperto” em qualquer conexão de proteção é preciso trabalhar à noite, no feriado ou num domingo de madrugada. “Mas eles fizeram um teste como esse em circuitos com 4GW no horário comercial”, denunciam. "

Hoje mesmo trabalhadores da Eletrobras em Alagoas contra a privatização da empresa. O estado de Alagoas segue atingido pelo apagão.

Veja abaixo nota do Operador Nacional do Sistema Elétrico sobre a ocorrência. O último comunicado oficial data de antes das 19hs do horário de Brasília.

NOTA À IMPRENSA COMPLEMENTAR - OCORRÊNCIA NO SIN - 21/03/2018

Às 15h48 do dia 21/03/2018 ocorreu uma falha de um disjuntor na subestação Xingu, no Pará. Em consequência, houve o desligamento automático de diversas linhas de transmissão em 500 kV, componentes dos troncos de interligação Norte/Nordeste/Centro-Oeste, Tucuruí/Manaus, Tucuruí/Vila do Conde, Elo cc 800 kV Xingu/Estreito e da UTE Belo Monte, entre outros, acarretando uma redução total de carga no SIN, da ordem de 18.000 MW.

Em todas as capitais da Região Norte e Nordeste do país ocorreu interrupção do suprimento de energia elétrica

A frequência nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste atingiu 58,5 Hz, levando à atuação do Esquema Regional de Alívio de Carga (ERAC) desligando 3.200 MW nas regiões Sudeste/Centro-Oeste e 1.200 MW na região Sul. As cargas interrompidas nessas regiões foram rapidamente restabelecidas, em cerca de 20 minutos.

Na região Norte, foram desligadas as capitais Manaus, Macapá, Belém, São Luiz e Palmas.

Na usina hidrelétrica de Tucuruí nove unidades geradoras continuaram sincronizadas, atendendo cerca de 500 MW de carga no Pará e Maranhão.

O processo de recomposição do sistema Norte ocorreu da seguinte forma:

Cidade
Início da recomposição Tomada de carga
Macapá 16h59 17h30
Belém 16h21 16h49
São Luiz 16h59 17h10
Palmas 16h58 17h33
Manaus 16h15 16h44

O processo de recomposição do sistema Nordeste foi mais lento. Às 18h55 esta era a situação da recomposição no Nordeste:

Fortaleza: 55% da carga religada
Teresina: 50% da carga religada
Recife: 50% da carga religada
João Pessoa: 15% da carga religada
Maceió: 20% da carga religada
Salvador: 30% da carga religada
Aracaju: 25% da carga religada
Natal: 20% da carga religada

A carta total recomposta nesse horário era de 5.600MW, o que representa 50% da carga prevista do Nordeste.

O processo de recomposição do Nordeste segue em curso.

A reunião com as empresas envolvidas na análise da perturbação será realizada até a próxima segunda-feira, no ONS, no Rio de Janeiro.

Novas informações poderão ser disponibilizadas a qualquer momento.

Assessoria de Imprensa
Operador Nacional do Sistema Elétrico




Tópicos relacionados

Eletrobrás   /    Governo Temer   /    Privatização   /    Política

Comentários

Comentar