Mundo Operário

POLÍTICA CHILE

O Lítio está nas mãos de quem?

O mineral utilizado em aparelhos eletrônicos e baterias recarregáveis tem o preço cada vez mais elevado dado a expectativa de um aumento na fabricação de carros eletrônicos. Diante disso, as disputas da classe capitalista pela concessão da extração do mineral vem aumentando

terça-feira 4 de outubro| Edição do dia

O Lítio como poder político

Essa semana os representantes da empresa russa “Rosatom” se reuniram com membros do governo chileno. A estatal russa está interessada em conseguir a concessão para extrair o material e o governo russo usa essa empresa para exercer influência em diferentes países onde consegue firmar acordos milionários.

A disputa pelo lítio na classe capitalista não é novidade. Até pouco tempo atrás, a única empresa com concessão para explorar o mineral no Chile era a SQM (Sociedad Química y Minera), a mesma empresa que pertence ao genro do ex ditador e genocida Augusto Pinochet (Julio Ponce Lerou) e que financiava políticos no congresso desde a União Democrática Independente até o Partido Socialista. Isso não é uma coincidência, o preço do lítio vem subindo a nível mundial e o Chile conta com uma das reservas mundiais mais abundantes. Esse é mais um fato que mostra que o poder econômico do lítio é na realidade o poder político.

Não há dúvida de que a classe capitalista conheça muito bem o poder político que significará controlar a maior reserva de lítio do mundo.

O Lítio como fonte de uma vida digna para a classe trabalhadora

No Chile, temos o melhor exemplo de que a riqueza nas mãos dos capitalistas apenas significa miséria para os trabalhadores. O cobre, principal fonte de renda do Chile, existe para que as grandes multinacionais tenham lucros enormes e o que sobra – explorado pela Corporação de Cobre do Chile (Codelco) – é usado para financiar as forças armadas e para pagar salários milionários a seus gerentes.

Para os capitalistas, esse poder político obedece a seus interesses individuais. Mas o que aconteceria se o Lítio estivesse nas mãos da classe trabalhadora? Não poderíamos tomar todo o potencial econômico desse material para dar uma vida digna aos trabalhadores?

Hoje, esse material continua mas mãos daqueles que não podemos confiar: os empresários e políticos do regime corrupto. É necessário que a classe trabalhadora enfrente esses desafios, não por capricho, mas por necessidade. Não podemos esperar nada dos capitalistas e seus representantes. Somente com o lítio e todos os recursos naturais sob o controle dos operários é que podemos começar a construir uma sociedade digna e ao serviço do povo trabalhador.

Tradução do espanhol por: Cassius Vinicius




Tópicos relacionados

Chile   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar