Mundo Operário

III CONGRESSO NACIONAL CSP-CONLUTAS

"O Congresso da Conlutas precisa jogar suas forças para contribuir na luta no RS", diz Flávia

Flavia Valle

Professora, Minas Gerais

sábado 14 de outubro| Edição do dia

Neste sábado está ocorrendo o terceiro dia do III Congresso Nacional da Central Sindical e Popular CSP-Conlutas, em Sumaré, interior de São Paulo. Mais de 1500 pessoas participam do Brasil inteiro, de diversas categorias, entre elas professores, metroviários, metalúrgicos, servidores públicos, trabalhadores dos Correios, movimentos sociais de moradia, entre outros.

O Congresso vem fazendo o debate sobre da atuação da central sindical nos seus últimos 11 anos de existência. Muito se discutiu sobre os importantes processos de luta que os trabalhadores foram protagonistas neste período, sendo um dos pontos mais importantes a discussão sobre o golpe institucional e a posição da central sindical nesse período, onde sua corrente majoritária (PSTU) e outras correntes insistem em dizer que “não houve golpe” fazendo coro com a direita, mas vemos como um debate necessário para que esta central tire lições deste processo e avance na sua independência de classe.

Frente à queda de Dilma e o avanço dos ataques que a patronal e os governos vêm tentando aprovar avançando contra os trabalhadores com a retirada de direitos, outro debate que achamos fundamental e necessário de fazer neste Congresso é sobre a grande luta dos educadores do Rio Grande do Sul, que a mais de um mês estão protagonizando uma forte greve em todo estado, mas que vem sendo totalmente ignorada nas falas das correntes presentes no Congresso.

A vitória dos trabalhadores contra Temer passa hoje necessariamente pelo avanço da luta em curso no Rio Grande do Sul e de sua vitória, e que por isso todas as entidades sindicais e movimentos sociais presentes no Congresso hoje devem cercar de solidariedade a luta dos educadores que seguem firmes contra os ataques dos governos de Sartori.

Acreditamos que se os gaúchos são vitoriosos na luta contra os ajustes, a classe trabalhadora de conjunto é vitoriosa e tem assim um exemplo importante a seguir na luta contra a retirada de direitos, como derrubar as reformas trabalhista e da previdencia. A vitória do Rio Grande do Sul é importante para mostrar a todos os trabalhadores do país que vale a pena lutar e que podemos derrubar os golpistas.

Por isso estamos discutindo em todos os grupos de discussão que a CSP Conlutas jogue suas forças para contribuir para que a greve dos trabalhadores do Rio Grande do Sul imponha uma derrota contra os planos golpistas de Sartori e Marchezan, somando forças em ações e atos em todos os estados já na próxima semana, em solidariedade à greve fazendo esse mesmo mesmo chamado ao MTST e ao parlamentares do PSOL. Contra as reformas, façamos como no Rio Grande do Sul!




Tópicos relacionados

CSP-Conlutas   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar