Política

DELAÇÃO ODEBRECHT

Novo presidente do Senado, Eunício Oliveira, é citado em mais de uma delação da Lava Jato

Recentemente eleito presidente do Senado, Eunício Oliveira, foi citado pelo menos duas vezes em delações da Lava Jato. Citado pelo ex-diretor da empreiteira Odebrecth, Cláudio Melo, é sempre chamado pelo apelido de "Índio" e foi acusado por Cláudio de ter recebido R$ 2,1 milhões em propinas em 2013.

quinta-feira 2 de fevereiro de 2017| Edição do dia

A denúncia consta junto as delações premiadas dos 77 executivos da empreiteira que foi homologado recentemente pela ministra do STF Carmem Lúcia. A propina teria sido para a aprovação da MP 613, que concede incentivo tributário aos produtores de etanol e à industria química. A Odebrecht que investiu pesado em etanol nos últimos anos, agora revela outra grande parte do "investimento".

O que é claramente um passo da Lava Jato contra o PMDB, partido do presidente golpista Michel Temer. Falam sobre o "trio que efetivamente era dono do PMDB do Senado", consequentemente, donos do Senado. O trio citado nas delações é composto por, além de Eunício, Renan Calheiros e Romero Jucá.

Ainda há outra delação envolvendo Eunício, onde o ex-diretor da empresa Hypermarcas, Nelson Melo. Na delação premiada, Nelson cita o repasse de R$ 5 milhões para a campanha derrotada de Eunício para governado do Ceará em 2014. Mediante contratos fictícios, Nelson teria pago as despesas das empresas que prestam serviço à campanha do peemedebista.

Eunício é o "homem de confiança" de Temer no Senado e, não bastando isso, teve seu patrimônio quase triplicado de 2010 a 2014, enquanto senador. Outro dado intrigante é o apoio de partidos como o PT e PCdoB para o cargo de presidente do Senado, dando apoio a um partido golpista, que ataca os trabalhadores, tudo em troca de cargos.




Tópicos relacionados

Odebrecht   /    Golpe institucional   /    MDB   /    Operação Lava Jato   /    Senado   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar