Mundo Operário

Novo incêndio afeta moradores da zona norte de Osasco

Um incêndio atingiu uma favela na Vila Menk, zona norte de Osasco, na Grande São Paulo, na manhã desta segunda-feira (3). O fogo começou por volta das 10h e destruiu cerca de 20 barracos.

terça-feira 4 de julho| Edição do dia

Um incêndio atingiu uma favela na Vila Menk, zona norte de Osasco, na Grande São Paulo, na manhã desta segunda-feira (3). O fogo começou por volta das 10h e destruiu cerca de 20 barracos. Uma senhora ficou ferida com queimaduras no rosto e precisou de atendimento médico. Outra pessoa precisou de oxigênio após inalar fumaça. Por volta das 12h, os bombeiros faziam o trabalho de rescaldo para resfriamento do local e evitar o retorno das chamas. Até agora não há informações sobre as causas do incêndio.

De acordo com o secretário de Habitação de Osasco, Marco Vilella, as famílias já estavam cadastradas e seriam removidas em, no máximo, 2 meses, devido à canalização do córrego Ribeirão Vermelho. Algumas das matérias da grande mídia também atribuíram motivos climáticos ao fato, alegando que o número de incêndios em favelas costuma aumentar no inverno, quando o tempo seco favorece a formação de queimadas.

Não é a primeira vez que moradores da zona norte de Osasco se deparam com incêndios nas comunidades locais, em 2016 mais de 300 barracos foram incendiados na Ocupação Esperança na região do Industrial Anhanguera, desabrigando cerca de 500 de famílias. O incêndio ocorreu logo após a prefeitura de Osasco ceder intervindo contra a medida de reintegração de posse do terreno. O que claramente coloca a suspeita de que a origem do incêndio pudesse ser criminosa, visando a retirada das famílias custe o que custar.

Mas além de hipóteses criminosas de modo geral esses desastres não possuem raiz "natural", são arquitetados socialmente pela enorme desigualdade de condições de moradia, afetando centenas de milhares de pessoas obrigadas a construir habitações em lugares de risco ou sem a estrutura adequada, enquanto magnatas da especulação imobiliária mantém imóveis ociosos e inabitados nos grandes centros.

Por isso é urgente uma investigação que conte com representantes eleitos pelos moradores para descobrir os reais motivos do incêndio. E um plano de obras públicas que atenda as demandas de moradia na região, garantindo moradia digna aos trabalhadores e trabalhadoras das regiões periféricas de Osasco.




Tópicos relacionados

Osasco   /    Moradia   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar