Política

GOVERNO BOLSONARO

Novo diretor-geral da PF decide trocar chefia do RJ para proteger presidente e seu clã

O novo diretor-geral da PF, Rolando Alexandre de Souza, não perdeu tempo para dar andamento aos interesses de Bolsonaro. No mesmo dia de sua posse, decide trocar o chefe da PF do Rio de Janeiro, que já era apontado com de interesse do presidente e seus filhos. Facilita, assim, a blindagem de sua família e de seus aliados nos casos que estão envolvidos. Tudo isso no mesmo RJ em que foi assassinada Marielle Franco, caso ainda sem respostas.

segunda-feira 4 de maio| Edição do dia

Após o STF suspender a nomeação de Alexandre Ramagem, o nome escolhido por Bolsonaro para diretor-geral da Polícia Federal foi o de Rolando Souza, até então secretário de planejamento da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Nesta segunda (04), em seu primeiro dia como diretor-geral da PF, Rolando Souza já determinou a troca do chefe da PF do Rio de Janeiro. O nome escolhido é o de Carlos Henrique Oliveira.

A nomeação de Carlos Henrique Oliveira remonta uma crise entre a PF e o presidente que data de agosto do ano passado. Oliveira era superintendente em Pernambuco quando foi convidado por Maurício Valeixo, ex-diretor-geral da PF, para ocupar o mesmo cargo no RJ. Bolsonaro deu entrevistas rejeitando a escolha e alegando que já estava sendo combinado de Alexandre Saraiva ocupar o cargo. Ele saraiva é superintendente do Amazonas. A postura do presidente gerou reações na época e Carlos Henrique ficou no RJ. Hoje ele passa a ser o número 2 na hierarquia da PF do estado.

O golpista Sergio Moro, ao sair do governo, acusou Bolsonaro de tentar interferir na politicamente na PF. Neste sentido, a ágil decisão do novo diretor da PF é emblemática. O RJ é justamente a principal base do "clã" Bolsonaro. Tanto ele quanto seus filhos tem inúmeras relações obscuras no estado, particularmente no que diz respeito às milícias. As rápidas atitudes do novo diretor-geral da PF indicam que de fato Bolsonaro busca blindar a si e sua família.




Tópicos relacionados

Eduardo Bolsonaro   /    Carlos Bolsonaro    /    Governo Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar