Economia

ATAQUE ESPECULATIVO

Nova queda do real é chantagem do capital imperialista exigindo privatizações já

Ítalo Gimenes

Campinas

quarta-feira 27 de junho| Edição do dia

O Banco Central tentou segurar o dólar nesta quarta-feira, 27, fazendo o que sabe de melhor: ceder às chantagens imperialistas entregando bilhões das reservas públicas em swaps cambiais ao capital imperialista ligado aos grandes bancos e especuladores. Este reagiu negativamente à decisão do STF, deferida pelo Ministro Lewandowski, de submeter a votação do Congresso qualquer tipo de privatização de empresas estatais. Com isso os especuladores derrubaram as ações da Eletrobrás na bolsa, que estava próxima de realizar um leilão para entrega de distribuidoras.

O real desvalorizou-se 2% em relação ao dólar, chegando à R$ 3,8737, a maior cotação desde o dia 7 de junho (R$ 3,9146). Entre os principais países emergentes afetados pelos ataques especulativos ligado a elevação de juros nos EUA, a fuga de capitais de volta ao centro imperialista na América, o real teve o segundo pior desempenho ante o dólar hoje, perdendo apenas para a moeda da África do Sul.

O BC fez hoje realizou novas vendas de dólar no mercado à vista com compromisso de recompra, mesmo com prejuízos ao tesouro nacional e enchendo os bolsos dos bancos e especuladores, colocando mais US$ 2,425 bilhões no mercado. Nas últimas semanas, o BC já queimou cerca de US$ 25 bilhões nesse tipo de movimentações para agradar os chantagistas internacionais que davam claras mostras de que a especulação com o real era parte de pressionar que o seu programa de continuidade da agenda do golpe, em especial com a Reforma da Previdência e privatizações, fosse o centro da campanha dos principais candidatos ao Executivo em outubro.

Dados do Banco Central do fluxo cambial divulgados hoje confirmam saída de capital entre os dias 18 e 22, quando foram retirados US$ 766 milhões em valores líquidos. Como já vínhamos denunciando, é uma medida que esses capitalistas usam para pressionar a elevação dos já altíssimos juros do país, o que desbancaria ainda mais os recursos de saúde e educação para o pagamento da fraudulenta dívida pública, controlada por esses mesmos capitalistas para determinar a que nossa economia serve: seus lucros fáceis de espoliação.

Na bolsa notou-se uma forte queda nas ações da Eletrobras, que sinalizou uma reação do mercado à decisão do ministro do STF, Ricardo Lewandowski, de submeter ao plenário da Câmara as privatizações de estatais. Isso retardou os planos imediatos do golpismo, ainda que longe de contestá-lo, de entregar as principais estatais à sanha dos lucros do capital privado, grande parte ligado a monopólios internacionais. Uma prova de que o imperialismo reage engrossa o tom por qualquer mínima tentativa de contestar sua vontade de saquear o que for necessário para pagar seus lucros ilegítimos.




Tópicos relacionados

Imperialismo   /    STF   /    Privatização   /    Economia

Comentários

Comentar