FEMINISMO

"Nosso feminismo não é tipo Tabata Amaral que fala de emancipação e apoia reforma da previdência", diz Diana Assunção

Compartilhamos o vídeo de Diana Assunção que é candidata a vereadora em São Paulo pela Bancada Revolucionária de Trabalhadores, confira.

terça-feira 13 de outubro| Edição do dia

Diana Assunção é candidata a vereadora em São Paulo pela Bancada Revolucionária de Trabalhadores. Já publicou inúmeros artigos e livros sobre o tema, e milita por um feminismos socialista há muitos anos. É fundadora, no Brasil, do grupo de mulheres Pão e Rosas, presente em dezenas de países mundo afora. Sobre o vídeo, ela declarou que:

"Gravei esse vídeo pra tentar expressar mais até o final qual é o feminismo que defendemos porque vejo muita demagogia com o tema do feminismo nas eleições. Tem candidatura feministas de partido que votou pela isenção bilionária das Igrejas como é o caso do PCdoB, isso é um contrassenso completo.

A eleição acaba sendo palco de um discurso demagógico onde todos, menos os bolsonaristas estariam a favor das mulheres, até mesmo Joice Hasselman e tantos outros. Inclusive até Damares Alves representante do governo Bolsonaro faz demagogia: uma das suas principais campanhas é o disque 180 pra aumentar o poder policial do estado, lembrando que esse lema é muito usado por feministas de esquerda.

Por isso é preciso separar o joio do trigo, o enorme fenômeno de mulheres vem com distintas ideologias nas quais até mesmo as empresas surfam nem falar os políticos que nos atacam. Nosso feminismo não é o da Tabata Amaral que fala de emancipação mas vota a favor da reforma da previdência.

Também não é um feminismo cirandeiro que sequer se propõe a organizar a luta nos locais de trabalho, nosso feminismo é de combate, é socialista e revolucionário".

Assista o vídeo:




Tópicos relacionados

Bancada Revolucionária de Trabalhadores   /    Pão e Rosas   /    Mulheres   /    Feminismo

Comentários

Comentar