Gênero e sexualidade

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Nossa Classe contra a Violência à Mulher!

Elenice Rocha, trabalhadora do Bandejão da USP e militante do Nossa Classe chama as mulheres a lutar contra a violência!

domingo 29 de maio de 2016| Edição do dia

Atenção mulheres! Diga não a violência.

Diante de mais um absurdo e lamentável caso de violência contra uma adolescente de apenas 16 anos, onde um bando de covardes fizeram mais uma barbárie, praticando um estupro coletivo, é impossível e inaceitável que fiquemos caladas! Vamos "meter a boca no trombone" e fazer com que esses monstros sejam punidos.

É preciso nos mobilizarmos mais para juntar nossas forças e exigir que, tanto esse como todos os outros crimes hediondos, não sejam esquecidos e os culpados fiquem impunes e a mulher cada vez mais sofrendo as consequências das atrocidades desses canalhas.

As estatísticas a cada dia vêm mostrando a crescente e aterrorizante violência contra as mulheres. É preciso buscar unificar as lutas para fortemente barrar esses ataques que parece nos levar ao retrocesso.

Quem disse que somos obrigadas a aceitar que nos maltratem e nos humilhem? Quem têm esse direito? Porquê muito mau caráter se acha dono da verdade? Quem são esses estúpidos e cafajestes que se sentem manchões demais a ponto de agredir, espancar, mutilar e matar mulheres indefesas e que muitas vezes são amedrontadas por aqueles que estão no seu convívio como parceiros? Não se intimide e denuncie todo e qualquer tipo de abuso e maus tratos que você esteja sofrendo. Vamos desmascarar esses "lobos maus"" que se apresentam em pele de "cordeirinhos.

Esses estúpidos e cafajestes que se sentem manchões demais a ponto de agredir e espancar. Não se intimide e denuncie todo e qualquer tipo de abuso e maus tratos que você esteja sofrendo dentro de casa. Tem brutamontes que coagem e maltratam suas parceiras, as tornando submissas por serem donas de casa. Jamais aceite que um pedido de desculpas ou umas palavrinhas doces vindas depois de uma agressão que só tendem a mascarar as características de um opressor.

Todas nós somos mais fortes do realmente pensamos ser, somos mães, esposas, trabalhadoras fora e dentro do lar, onde muitas desempenham o papel "de pai e mãe" e são provedoras de todo o sustento da família.

Tenham em mente que toda mulher deve ser respeitada e tratada com carinho e acima de tudo preservada em sua dignidade.

Vamos juntas dizer não a todo tipo de violência e maus tratos conta a mulher.




Tópicos relacionados

Mulher   /    Movimento Nossa Classe   /    Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar