AEROVIÁRIOS

Nos aeroportos do país, surge o movimento Nossa Classe - Aeroviários pra lutar contra as demissões e a terceirização

Trabalhadores Aeroviários do MRT e independentes formam agrupação para ser uma força militante contra os ataques dos governos.

terça-feira 4 de setembro| Edição do dia

AEROVIÁRIOS: é urgente nos organizar contra as demissões e a
terceirização que precariza nossos empregos!

A triste realidade das demissões de cerca de 1000 aeroviários da LATAM em Guarulhos e mais de 300 no Galeão-RJ é mais um exemplo do que já ocorre em centenas de fábricas pelo Brasil, graças às ações coordenadas entre patrões, políticos corruptos e o sistema judiciário.

Estes, que despejam as demissões e a terceirização nas nossas costas, são os mesmos que nos enfiaram goela abaixo a Reforma Trabalhista e tentam passar a Reforma da Previdência para que trabalhemos até morrer sem nos aposentar. Com seus mega-salários, impuseram o golpe institucional para arrancar nossos direitos e nos obrigar a pagar a conta da crise que eles mesmo criaram.
Com a lei da Terceirização Irrestrita aprovada pelo Supremo Tribunal Federal, a situação tende a se agravar: hoje, o trabalhador terceirizado trabalha em média 3 horas a mais por semana que um efetivo, recebe em média 24,7% a menos, permanece 2,6 anos a menos no emprego e é vítima de 80% dos acidentes fatais nos locais de trabalho.

Já há relatos que a empresa Orbital, que assumiu parte das operações da LATAM, não oferece os equipamentos de proteção individual necessários, além de estar obrigando os trabalhadores a jornadas de 10 horas, as vezes até 12 horas ininterruptas, para cobrir o buraco que as demissões geraram. Ou seja, além de risco na segurança dos trabalhadores, a precarização das condições de trabalho colocam também em risco a aviação, seus funcionários e passageiros.
Para revertermos essa situação absurda a qual nós trabalhadores estamos sendo arrastados por esse projeto golpista de país, precisamos nos unir e lutar contra a Terceirização, pela revogação da Reforma Trabalhista, e também contra a Reforma da Previdência que os governos ainda pretendem pautar. Essas reformas servem apenas para diminuir os gastos públicos com a população e garantir o pagamento da Dívida Pública aos banqueiros, que hoje já retira do orçamento da saúde e educação mais de 1 trilhão de reais.

Enquanto as empresas aéreas e as terceirizadas nos tratam como números apenas, jogando com nossas vidas, e enriquecendo a partir do nosso trabalho, querem nos impor uma competição absurda pelo emprego, muitas vezes incentivando um tipo de “rivalidade” entre nós, efetivos e terceirizados. Não podemos nos dividir: somos irmãos da mesma classe trabalhadora atacada em todo o país pelos golpistas!
Devemos nos organizar dentro e fora dos aeroportos para resistir às demissões buscando na própria classe as forças para impedir as demissões que ainda estiverem por vir e reverter as que já foram impostas. Os sindicatos da CUT e CTB, em particular os sindicatos dos aeroviários, precisam organizar assembleias para discutir a gravidade da situação com toda a categoria, buscando mobilizar e unificar os trabalhadores em defesa do emprego, para resistir efetivamente aos ataques contra nossos direitos, as demissões, e os desdobramentos da crise.

Maíra Machado, candidata a deputada estadual pelo MRT, que sempre esteve presente nas lutas dos trabalhadores e da juventude, esteve hoje no aeroporto de guarulhos, colocando sua candidatura a serviço das lutas em curso e se colocando ao lado dos trabalhadores contra a demissões, em defesa do emprego e da organização independente dos trabalhadores.

Leia também:
- As 1.300 demissões na LATAM são apoiadas pelos juízes de R$ 39 mil do STF e sua terceirização.

- Terceirização leva a demissões em massa na LATAM, políticos e judiciário querem mais




Tópicos relacionados

Latam   /    Aeroportos   /    Aeroviários   /    Privatização   /    Movimento Nossa Classe   /    Transporte

Comentários

Comentar