Política

TEMER NA ONU

Nos EUA Temer promete reforma da previdência e entregar o Brasil ao imperialismo

Nesta quarta-feira, 20, em evento do jornal Financial Times em Nova York, Michel Temer se comprometeu a aprovar a reforma da previdência, fez propaganda de “oportunidades” de investimento no Brasil, oferecendo privatizações e ainda prometeu “simplificar os impostos”, ou seja, dar todas as facilidades para “bons negócios” as empresas imperialistas.

quarta-feira 20 de setembro| Edição do dia

O governo Temer foi ao Estados Unidos fazer propaganda do Brasil aos investidores imperialistas, disse que seu governo resgatou a confiança dos agentes, o que deve se traduzir em melhora dos investimentos e do consumo. "O Brasil tem momento de mudanças, com enormes oportunidades", disse o peemedebista aos investidores dos Estados Unidos, ressaltando que "a recessão ficou para trás".

Em cima de dados econômicos duvidosos, a verdadeira intenção do presidente é ofertar as riquezas nacionais, empresas e força de trabalho para os investidores. Temer pediu que os investidores norte-americanos participem dos programas de infraestrutura no Brasil. "O Estado não pode fazer tudo. Por isso, promovemos programa de investimentos privados em infraestrutura", disse ele, mencionando que o País tem instituições sólidas. "Investir no Brasil é ganhar", afirmou Temer. "O Brasil é espaço de estabilidade."

Após um ano de crise política e de luta operaria, o presidente precisa “forçar a barra” frisando a “estabilidade” nacional, para dar segurança aos empresários. Se apoia em um discurso neoliberal de “menos Estado”, quando a realidade da população é um Estado que não garante as necessidades mínimas como saúde, educação, transporte e lazer. Na realidade vem atacando diversos direitos trabalhistas e sociais, e Temer para atender a maior sede de lucros empresariais promete ainda mais ataques como a reforma da previdência.

"A reforma da Previdência trata de salvar as aposentadorias de hoje e de amanhã", afirmou o presidente. "No Brasil, há diferença de privilégios entre funcionários da área pública e do setor privado. A reforma da Previdência visa regras iguais para todos", declarou. Não há nada de “privilégios”, os verdadeiros privilegiados são justamente os juízes, parlamentares e o próprio Temer que não só ganham super salários como roubam o dinheiro público, e ainda querem acabar com a previdência.

Temer também faz propaganda da reforma trabalhista, “observou ainda que o governo conseguiu modernizar a legislação trabalhista, que datava de 1943, ao aprovar a reforma no Congresso”. E por fim promete todos os benefícios tributários as empresas, enquanto a população paga altos impostos as empresas tem caminho livre. O presidente ressaltou ainda que o Brasil está buscando “simplificação da estrutura de impostos e a que reforma tributária”. "A simplificação tributária está no quadro de desburocratização do País", disse ele.

O governo quer entregar o país aos empresários internacionais e subjugar ainda mais o Brasil ao imperialismo. O chefe de estado brasileiro viajou para os Estados Unidos para participar da abertura da 72ª assembleia geral da Organização das Nações Unidas (ONU) na terça-feira (19). Na ONU, ele já tinha declarado que o "novo Brasil" que está surgindo das reformas será "mais aberto" ao mundo. Essas medidas colocam com toda a força a necessidade da luta anti imperialista, como parte da luta contra as reformas.




Tópicos relacionados

ONU   /    Governo Temer   /    Política

Comentários

Comentar