Política

ATAQUE AOS TRABALHADORES

Norma aprovada por Bolsonaro fará você pagar pelos seus direitos como 13º salário e férias

Bolsonaro aprova norma que fará com que o trabalhador pague imposto de férias, 13º salário e horas extras, aliviando e garantindo o lucro dos empresários.

quarta-feira 25 de setembro| Edição do dia

Novo acordo trabalhista, sancionado por Bolsonaro na última sexta feira, impõe que as empresas não poderão mais classificar como indenizatórios valores como férias, 13º salário e horas extras frutos de acordos com trabalhadores na Justiça ou extrajudiciais. Ou seja, na prática, Bolsonaro impõe que trabalhador pague impostos sobre seus próprios direitos, conquistados há muitas décadas em base à muita luta.

Não é a primeira vez que Bolsonaro e sua base aliada no governo dão mostras do quanto estão dispostos a atacar os trabalhadores para manter os lucros dos patrões. A reforma da previdência, um dos ataques mais nefastos arquitetado há muito tempo pelos governos e pelos empresários, fez Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara dos Deputados, chorar de emoção ao garantir que os brasileiros trabalhem até morrer.

Esta nova norma colocará fim no acordo estabelecido que ausenta estes direitos de tributação por parte do trabalhador, sendo dever do patrão. Sobre verbas indenizatórias não há cobrança de contribuição previdenciária e Imposto de Renda, por exemplo. Com essa norma aprovada por Bolsonaro, o trabalhador terá que pagar impostos sobre seus próprios direitos.

Tudo isso se dá na perspectiva de que o Governo busca arrecadar R$ 20 bilhões em dez anos, que serão desviados ao pagamento da dívida pública. Os ataques de Bolsonaro, inclusa as políticas privatistas de Guedes, estão à serviço de garantir o pagamento desta dívida ilegal, ilegítima e fradulenta, que é um dos mais importantes mecanismos usados pelo imperialismo e por um seleto grupo de banqueiros para roubar os recursos de um país.

Junto à "MP da liberdade econômica", nome escolhido pelos parlamentares para disfarçar a verdade sobre este projeto, que é impor uma nova e mais abrangente reforma trabalhista do que aquela que foi aprovada em 2017 pelo golpista autodeclarado Michel temer. Atacando os direitos trabalhistas, Bolsonaro garante o lucro dos capitalistas fazendo com que os trabalhadores paguem pela crise.

O Governo Bolsonaro já sinalizou centenas de vezes para quem governa e sob qual objetivo atua. É urgente que os trabalhadores, juventude, mulheres, negros, LGBTs e indígenas se levantem contra tamanhos ataques que querem nos fazer trabalhar até morrer, ou, na prática, morrer trabalhando para garantir o lucro dos patrões. Esta força colocada nas ruas para combater cada avanço de Bolsonaro, sem separar seus ataques à educação, saúde, direitos, ou seus ataques político-ideológicos, é capaz de fazer com que sejam os capitalistas que paguem pela crise que eles mesmos geriram.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Juventude trabalhadora   /    Trabalhadores   /    Jair Bolsonaro   /    Reforma Trabalhista   /    Trabalho Precário   /    Direitos Trabalhistas   /    Política

Comentários

Comentar