Sociedade

POLÍCIA GANHA ENQUANTO POVO PAGA PELA CRISE

No meio da crise, desemprego e pandemia, Deputados aprovam aumento para policiais do DF

Deputados federais aprovaram o aumento salarial retroativo a janeiro de 2020 para os policiais civis e militares e do corpo de bombeiros do Distrito Federal, adotando o lado dos agentes repressivos no meio de uma crise econômica, política, social e sanitária que afeta fortemente a população.

segunda-feira 21 de setembro| Edição do dia

Imagem: JP RODRIGUES/METRÓPOLES

A liberação do reajuste está na Medida Provisória (971/2020) que segue agora para o Senado, onde precisa ser aprovada até amanhã para não perder a validade. O texto principal da medida foi aprovado sem a contagem de votos, ou seja, teve apoio amplo na casa e nenhum dos destaques (pedidos de alteração) foram aprovados. O aumento será exorbitante, de até 25% para policiais do Distrito Federal. Enquanto isso, o povo paga pela crise com a diminuição do auxílio emergencial de R$ 600 para R$ 300 reais.

Leia Mais: Um ano depois do assassinato de Ágatha Felix, policial acusado segue atuando na PM

Segundo a MP, o dinheiro para o reajuste aos policiais sairá do Fundo Constitucional do Distrito Federal, bancado pela União, que reserva neste ano R$ 15,73 bilhões para o governo do DF cobrir gastos com segurança pública, saúde e educação. No caso, as áreas prioritárias estão perdendo para direcionar verbas a instituição policial, que serve para manutenção da propriedade privada, é a proteção armada da classe capitalista, que sempre que necessário, vira suas armas contra os trabalhadores. Isso fica evidente pela quantidade de negros e negras assassinadas pela polícia todos os anos e no DF não é diferente.

Leia Mais: Jovem negro é preso pela Polícia do RIO sem provas e levado para presídio superlotado

A MP é uma complementação a uma alteração na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovada pela Câmara em maio, que autorizou a recomposição salarial das carreiras. Os reajustes têm custo de R$ 505 milhões por ano.

Leia Mais: “Estão nos matando”, o grito na segunda jornada de protestos contra a polícia na Colômbia




Tópicos relacionados

Racismo Policial   /    Estado Policial   /    Corrupção Policial   /    Sociedade   /    Violência policial   /    Brasília

Comentários

Comentar