Sociedade

ATO CONTRA PRISÕES DO 28A

No dia em que presos são transferidos, MTST realiza ato contra a prisão dos manifestantes

terça-feira 2 de maio de 2017| Edição do dia

Fotos: MTST

Na última sexta feira, na histórica greve geral deste 28 de abril, os trabalhadores, a juventude e diversos movimentos sociais protagonizaram diversos atos e cortes de ruas por todo país. A repressão policial aos manifestantes, que chegou a deixar um estudante da UFG gravemente ferido, aprisionou três integrantes do MTST-SP. O pedreiro Luciano Antônio Firmino, de 41 anos, o motorista Ricardo Santos, de 35, e o frentista Juraci Santos, de 57, foram presos no início do dia 28. Depois de serem indiciados por por tentativa de incêndio, explosão e incitação ao crime seguem presos sob o argumento de Defesa da ordem pública. A juíza que decretou sua prisão provisória é apoiadora de movimentos como MBL e Vem Pra Rua e ativista pelo golpe institucional

Hoje, terça-feira 02/05, foi realizado um ato em frente ao 63º Distrito Policial (DP), na Vila Jacuí, zona leste de São Paulo, que contou com a presença de integrantes do MTST. O ato, que foi realizado no dia em que os três integrantes foram transferidos do Distrito Policial para o Centro de Detenção Provisória (CDP) da Independência contou com a presença de 300 manifestantes do MTST, segundo o portal UOL. Os manifestantes se colocavam contra a prisão e exigiam a liberdade imediata dos três presos políticos desse 28A.

Exigimos a liberdade imediata dos presos políticos. Não aceitaremos que essa justiça racista, burguesa mantenha em carcere os lutadores do 28A. É inadmissível que os três integrantes do MTST passem mais um dia preso por participarem da greve geral, por lutarem contra os ataques e reformas de Temer!




Tópicos relacionados

#28A   /    MTST   /    Sociedade   /    violência policial   /    Política

Comentários

Comentar