Política

ESQUERDA DIÁRIO RIO

No Rio uma voz anticapitalista cresce, 700 mil acessos em 2017 no Esquerda Diário

Só no Rio de Janeiro serão mais de 100 mil acessos neste mês, somando mais de 700 mil desde o início deste ano. Como parte de seguir avançando na construção de uma alternativa alternativa política da esquerda independente do PT e ligada a luta de classes, o Esquerda Diário inaugurará uma sede no Rio em breve, a Casa Marx.

segunda-feira 30 de outubro| Edição do dia

O Esquerda Diário chega ao final de outubro com ótimos resultados e novos desafios. Só no Rio de Janeiro serão mais de 100 mil acessos neste mês, somando mais de 700 mil desde o início deste ano. Cumprindo um papel ativo nas lutas da UERJ, CEDAE, contra Pezão e Crivella, assim como em cada luta dos trabalhadores, jovens, negros, das mulheres e LGBTs contra os ataques da direita reacionária, esta ferramenta pretende ser uma voz anticapitalista, que contribua para a construção de uma alternativa política dos trabalhadores, independente do PT que já se mostrou incapaz de enfrentar a direita. Como parte de seguir avançando na construção dessa alternativa política da esquerda, o Esquerda Diário inaugurará uma sede no Rio em breve, a Casa Marx.

Com mais de 5,1 milhões de acessos em todo o país apenas neste ano, o Esquerda Diário, que é parte da Rede Internacional de diários digitais La Izquierda Diario em 11 países e seis idiomas, segue se provando como um diário de esquerda que cresce e de maneira independente sem receber um centavo de empresas e governos, financiado voluntariamente por quem o constrói. E para nós do MRT, que junto a companheiros da juventude Faísca, do Grupo de Mulheres Pão e Rosas, do Nossa Classe e diversos intelectuais e ativistas independentes que impulsionamos esta iniciativa o avanço em números é muito importante na medida em que expressa uma ampliação das ideias anticapitalistas e revolucionárias a grandes setores da população.

É ainda mais importante e desafiador, que neste momento de tantas mudanças na situação nacional e de polarização das ideias, que abre espaço para saídas radicais à direita, mas também à esquerda, este diário esteja conquistando tal espaço. Este avanço prova que o espaço para ideias revolucionárias pode ser ocupado.

E nesta situação, é preciso batalhar por uma ampla frente única no movimento operário e de massas para enfrentar as reformas e todos os ataques, como viemos colocando todas as nossas forças, denunciando a direita, chamando os trabalhadores a fazer como no Rio Grande do Sul e construir um dia de luta efetivo no 10/11. Para isso é necessário que a esquerda construa uma estratégia independente do PT. É com este objetivo que queremos ser essa voz anticapitalista que vá à raiz do problema que desmancha o país em crise e corrupção.

Para que essa influência encontre vias de se materializar em luta e organização é que também impulsionamos ferramentas como a Revista Ideias de Esquerda que terá edição especial aos 100 anos da Revolução Russa; também como parte desse desafio o MRT vai lançar no próximo mês um manifesto programático sobre a luta dos negros e negras no Brasil com atividades em SP e no Rio, bem como o manifesto universitário elaborado pela Faísca para batalhar por uma ala revolucionária nas universidades; além de campanhas políticas como "Basta de lucrar com a educação, Kroton-Anhanguera nas mãos dos estudantes" que denuncia o maior monopólio de educação do mundo e a escandalosa denúncia de que as mulheres negras ganham 60% a menos que os trabalhadores homens brancos.

Queremos que o Esquerda Diário possa ser porta voz destes combates e destas lutas com uma perspectiva decididamente anticapitalista. Consideramos que nos colocar o desafio de chegar em todo o país com estas ideias é parte fundamental de construir uma força anticapitalista e revolucionária.

O Esquerda Diário na cidade do Rio

Em 2016 o Esquerda Diário se destacou no Rio no processo eleitoral de 2016, superando os 200mil acessos durante a eleição, cumprindo um papel ativo na luta contra Crivella e em defesa de uma perspectiva anticapitalista, lançando Carolina Cacau, militante do MRT e colunista do Esquerda Diário, pela primeira vez como candidata a vereadora.

Desde a eleição de Marcelo Crivella viemos denunciando o caráter reacionário do que seria e está sendo a gestão do Bispo da Universal. Fomos dos primeiros jornais que denunciaram o absurdo de Crivella cortar o bilhete único universitário em março desse ano, reportagem que viralizou nas redes sociais com 50 mil acessos no site e mais de 122 mil curtidas no facebook.

Fomos um dos poucos lugares onde se denunciou profundamente o absurdo da perseguição silenciosa que o Bispo Crivella está levando a frente contra as religiões e a cultura de matriz africana. A matéria de denúncia teve mais de 18 mil curtidas no facebook. A nota foi inclusive reproduzida pelo site do GELEDÉS, Instituto da Mulher Negra na internet.

O Esquerda Diário esteve na linha de frente dos principais processos de luta na cidade. Assim o provam os milhares de acessos da matéria “Greve dos trabalhadores da CEDAE começa na terça contra a privatização“ que deu inicio à amplíssima e forte cobertura do Esquerda Diário a greve das trabalhadoras e trabalhadores da CEDAE e da luta contra a privatização da água que continuamos fortalecendo, ao mesmo tempo em que denunciamos os absurdos do governo do estado com os golpistas do PMDB no comando. Denunciamos também as mentiras da Rede Globo para favorecer os interesses privatistas contra a CEDAE, denúncia que teve mais de 11 mil curtidas no Facebook.

Centenas de cariocas e trabalhadores da Companhia Estadual de Água e Esgoto fizeram parte da campanha “A CEDAE É DO POVO” que teve a adesão de figuras públicas e parlamentares como Bemvindo Sequeira, Renato Cinco, Marcelo Freixo e Paulo Ramos.

Carolina Cacau junto com os militantes do MRT e da Juventude Faísca foram parte ativa dessas lutas, prestando solidariedade a luta dos trabalhadores da CEDAE nos piquetes e nos atos no centro do Rio de Janeiro enfrentando lado a lado com os trabalhadores a forte repressão policial, tendo inclusive militantes feridos.

A plataforma Esquerda Diário serviu como um importante canal nas denúncias de violência policial e dos assassinatos da PM nas favelas do Rio de Janeiro como foi a carta "Seu dedo apertou o gatilho: o sonho acabou" que reproduzimos no site após o revoltante assassinato da menina Maria Eduarda em Fazenda Botafogo, com 57 mil curtidas no Facebook. A campanha pela liberdade de Rafael Braga, único preso político das manifestações de junho de 2013, que mostra o caráter racista da justiça e do Estado brasileiro foi um importante eixo de denúncia do Esquerda Diário no Rio de Janeiro.

Na luta contra o desmonte da universidade pública, em especial na UERJ somos um dos setores que estiveram em defesa da universidade desde 2013. Desde então estivemos lado a lado com os trabalhadores terceirizados em solidariedade com seu combate pelo pagamento de seus salários.

Recentemente lançamos a campanha “UERJ Resiste em Greve! A educação vale mais que o lucro deles!” como parte da campanha nacional “As nossas vidas valem mais que o lucro deles” que conseguimos ampliar na UERJ a partir do comando de delegados da greve. Foram organizados lambes na cidade e panfletagens na universidade. Figuras como Gregório Duvivier também aderiram à campanha.

Essa campanha tem ainda mais importância frente ao absurdo do acordo dos golpistas Temer e Pezão para fechar a UERJ que foi assinado pelo Rodrigo Maia.

Nas lutas contra os golpistas o Esquerda Diário levantou diversas campanhas como “A CEDAE é do povo!” que comentamos acima, “Às ruas contra Temer e Pezão”, “Contra as reformas de Temer! Que os capitalistas paguem pela crise!” ou “Não vamos morrer trabalhando, que os capitalistas paguem pela crise” campanha que levamos até Brasilia na jornada de lutas no Planalto no dia 24 de maio.

Também impulsionamos campanhas como a urgente “Pelo não pagamento da dívida pública” que frente aos imensos cortes nos orçamentos dos serviços públicos busca acabar com a bolsa banqueiro, que suga praticamente a metade do orçamento federal para pagar os juros e amortizações da dívida pública. O maior roubo da história do Brasil que é garantido com a cumplicidade ativa dos políticos da ordem, cheios de casos de corrupção.

Outras campanhas como “Preparar uma greve geral até derrubar Temer e as reformas e por uma Constituinte imposta pela luta” foram levadas inclusive por setores de garis que reconhecem o trabalho do Esquerda Diário, e pelos militantes do MRT que participaram ativamente na greve de garis de 2014 em atos e piquetes nas gerências da COMLURB quando o Esquerda Diário ainda não existia no Brasil. Hoje, via nossa plataforma digital os Garis continuam prestando solidariedade a diferentes lutas como a da CEDAE e a da UERJ.

Ou também, por exemplo, a campanha que levantamos no processo da greve geral 30J “Tomar a greve geral nas nossas mãos” que foi encampada por setores em luta não só no Rio de Janeiro, mas também em outras cidades do Brasil, para tentar evitar o boicote das direções das centrais que afinal se consumou.

Frente ao acordo de entrega do Estado do Rio de Janeiro, impulsionamos a campanha para expropriar as empresas dos corruptos e taxar os bilionários para garantir emprego, salário, educação e moradia.. Também levantamos uma denuncia contra a anti democrática reforma política (que já aprovou a clausula de barreira) junto com os parlamentares do PSOL do Rio de Janeiro, Flávio Serafini, Renato Cinco e Marielle Franco junto com a ex-candidata a vereadora Carolina Cacau.

No combate aos setores mais reacionários representados por MBL, Bolsonaro e companhia, que vem atacando a liberdade de expressões culturais e artísticas o Esquerda Diário também foi porta voz da luta contra a censura, chegando a mais de cento e cinquenta mil acessos em notas de exposições de arte sobre sexualidade e obras históricas que enlouquecem os conservadores.

Foi a denúncia de que a Justiça Federal autorizou psicólogos a tratar LGBTs como doentes, dada em primeira mão pelo Esquerda Diário e que teve mais de 200 mil curtidas no Facebook que levou esta ferramente ao seu record mensal, com 770 mil acessos no mês de setembro, um crescimento de 54% frente ao mês de agosto. Essa denúncia gerou tanta revolta nas redes que levou a mobilizações em diversas cidades do país com atos de milhares nas ruas, um verdadeiro exemplo de como ideias podem se tornar força real.

O Esquerda Diário vai abrir nova fase com uma sede no Rio, colabore e construa essa voz anticapitalista conosco!

Queremos seguir avançando para chegar em milhões pela internet em todo o país e no Rio, mas como aqui demonstramos, esse site faz parte de um projeto militante apaixonante, que agora no Rio entrará em uma nova fase com a inauguração, ainda este ano de uma sede no Rio de Janeiro. Chamamos todos os aliados que deram seu reconhecimento ao Esquerda Diário a colaborar com este projeto. Entre em contato conosco e saiba como.




Tópicos relacionados

Crise no Rio de Janeiro   /    Eleições Rio de Janeiro   /    Carolina Cacau #VozAnticapitalista   /    Esquerda Diário   /    Esquerda   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar