Política

LUTA CONTRA PEC 241

No Rio, ocupações e greves despontam contra PEC 241 e ataques de Temer

As mobilizações contra os principais ataques do governo golpista de Temer, a PEC 241 e a reforma do Ensino Médio, começam a ganhar força no Rio de Janeiro, com greves, ocupações e atos de rua.

quarta-feira 26 de outubro| Edição do dia

Logo após a votação da PEC 241 em primeiro turno na Câmara dos Deputados, a luta começou a surgir no Rio. Entre os Institutos Federais (IF), já são quatro ocupações: primeiro veio a ocupação de Realengo e depois a de Nilópolis, Caxias e Engenheiro Paulo de Frontin. O Esquerda Diário esteve em Realengo e conversou com os estudantes:

Além disso, os estudantes gravaram um vídeo em solidariedade à mobilização dos estudantes do Paraná, que foram vanguarda nas mobilizações contra os ataques de Temer e seguem com quase mil escolas ocupadas:

A luta dos estudantes da Faetec também foi ponta de lança, com a ocupação do campus. Duas estudantes da comissão de negociação conversaram com a Faísca e o Esquerda Diário e também fizeram um vídeo em solidariedade à luta no Paraná:

As ocupações se espalharam rapidamente, ganhando os campus do Colégio Pedro II (CP2). Até o momento, são três cinco campi ocupados pelos estudantes: Realengo, São Cristóvão, Engenho Novo, Niterói e Tijuca. Em Caxias, assembleia nessa quarta, 26, iria deliberar sobre a mobilização estudantil. E mais ocupações estão a caminho.

Os professores e funcionários do CPII, em assembleia nessa terça, 25, aprovaram a entrada em greve, com mais de 540 presentes e apenas 16 votos contrários. Veja o momento da aprovação da greve:

Na UFRJ, os funcionários votaram votaram greve nessa quarta, 25, bem como os do IF. Os servidores do Judiciário decretaram greve nessa quarta,26, ainda que até o momento a sua pauta esteja sobretudo voltada à questão salarial, sem mencionar a PEC 241.

Na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), em Seropedica, os estudantes também fizeram a ocupação do campus e em sua página postaram o seguinte vídeo com o título “Por que ocupar?”:

Além das greves e ocupações, a mobilização contra a Reforma do Ensino Médio e a PEC 241 está ganhando as ruas, com dois atos massivos que reuniram milhares no centro da cidade. O último ato ocorreu nessa segunda-feira, 24,, com estudantes e trabalhadores indo às ruas contra os ataques dos golpistas.

As mobilizações que estão em um rumo ascendente no Rio e em diversas regiões do país mostram que é possível nos organizarmos para barrar os ataques a partir de nossas lutas. É fundamental para isso romper a paralisia das centrais sindicais como CUT e CTB, exigindo que coloquem suas forças para construir as lutas, bem como que consigamos superar as lutas isoladas e nos articulemos nacionalmente para conseguir golpear com um só punho os patrões que querem tirar nossos direitos. Se as centenas de milhares de eleitores de Marcelo Freixo se ativarem para fortalecer cada uma dessas lutas, e formos capazes de construir uma força anticapitalista capaz de atacar a propriedade dos patrões, poderemos barrar a direita golpista e os ataques. Esse é o chamado que, junto a Carolina Cacau, fazemos a todos.




Tópicos relacionados

PEC 241/55   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar