Opinião

ANTIFEMINISTA E SEGUIDORA DE BOLSONARO

No Rio de Janeiro, anti-feminista Sara Winter comanda ato a favor de Bolsonaro

Na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, a anti-feminista e a candidata reacionária a Deputada Federal, Sara Winter comanda o ato a favor de Jair Bolsonaro, candidato à Presidência do PSL.

sábado 29 de setembro| Edição do dia

Na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, a anti-feminista e a candidata reacionária a Deputada Federal, Sara Winter comanda um ato a favor de Jair Bolsonaro, candidato à Presidência do PSL. O protesto em que Winter participa do alto de um trio elétrico é contrário aos atos de mulheres contra o racista, machista e homofóbico Jair Bolsonaro, que acontecem simultaneamente em várias cidades do Brasil e do mundo, inclusive no Rio também onde está ocorrendo um no bairro Cinelândia.

Sara Winter, que tenta cavar seu status de celebridade dizendo-se “ex-feminista” e grande seguidora do Bolsonaro, já mostrou várias polêmicas e mostrando seu fascismo, como na vez que levou seguranças particulares para UERJ para agredir os alunos. Além de rasgar cartazes em defesa do direito ao aborto nos corredores da universidade o ofendendo os alunos. A mesma já organizou congresso “antifeminista” contra a legalização do aborto, sendo a favor que milhares de mulheres sigam morrendo devido a abortos clandestinos.

Não é de surpreender que Sarah Winter lidera essa manifestação mostrando o reacionarismo e o conservadorismo que a extrema direita de Bolsonaro, e de ódio às mulheres, negras e negros e aos LGBTS.

Neste momento estão ocorrendo manifestações do #EleNão em praticamente todas capitais do país. Em São Paulo se espera a presença da golpista Marina Silva e até mesmo da latifundiária Kátia Abreu, vice de Ciro Gomes. O PT e setores do movimento de mulheres, o que inclui o PSOL, tem atuado nestas manifestações para transformá-las em palanque político, e ao mesmo tempo isso é funcional ao PT que oferece ao “mercado”, à “direita” e aos golpistas um pacto para governarem o país, aceitando conduzir os ataques e aceitando a degradação do regime político.

Não podemos permitir que o ódio contra a extrema direita seja esvaziado pela conciliação. Por isso o Pão e Rosas e o MRT organizam blocos independentes nestas manifestações de hoje. Saiba mais lendo a declaração que o Pão e Rosas levou às manifestações de hoje.




Tópicos relacionados

Mulheres Contra Bolsonaro   /    Mulheres   /    Bolsonaro   /    Rio de Janeiro   /    Opinião

Comentários

Comentar