Mundo Operário

22M

No Rio Grande do Sul, escolas paralisam contra a reforma da previdência. Confira a lista

Dezenas de escolas ainda estão debatendo em suas reuniões a participação na mobilização de sexta. Até o momento, chegou na redação do Esquerda Diário a informação sobre as seguintes escolas que irão paralisar e/ou se juntar às mobilizações:

quinta-feira 21 de março| Edição do dia

O governo Bolsonaro veio para aprofundar ainda mais os ataques e a retirada de direitos ao conjunto dos trabalhadores. Com a reforma da previdência quer que os trabalhadores e a juventude paguem pela crise. Essa reforma tem como um dos alvos centrais as professoras e professores, aumentando a idade mínima e o tempo de contribuição para se aposentar, além de outras transformações que atacam a categoria que já vive em condições precárias de trabalho e com baixos salários.

Particularmente no Rio Grande do Sul, os professores e servidores vem sofrendo com parcelamentos e atrasos de salários desde o governo Sartori. Agora com Eduardo Leite, que quer inclusive aprofundar a reforma da previdência a nível estadual, os professores continuam na mira da retirada de direitos que o governador já vem aplicando.

As centrais sindicais deliberaram por um dia nacional de mobilização, e o CPERS, dirigido pela CUT/PT e pela CTB/PCdoB, deliberou por um dia de mobilização na categoria. No entanto, a direção do sindicato pouco ou quase nada constrói na base dos professores e nas escolas esse importante dia de mobilização contra esse ataque que quer fazer com que os professores morram em sala de aula.

Apesar disso, os professores estão mostrando muita disposição de luta. Assim como em 2017 na grande greve de 92 dias, com grande apoio popular, contra o parcelamento de salários de Sartori, nesse 22M muitos professores também irão paralisar.

Dezenas de escolas ainda estão debatendo em suas reuniões a participação na mobilização de sexta. Até o momento, chegou na redação do Esquerda Diário a informação sobre as seguintes escolas que irão paralisar e/ou se juntar às mobilizações:

Porto Alegre
EE Cristóvão Colombo
EE Emílio Massot
EE Paulo da Gama
EEEF Eva Carminatti
EEEF Ildefonso Gomes

Canoas
IEE Carlos Chagas
EE Marechal Rondon
EE André Leão Puente
EE Jussara Polidoro
EE Guanabara

Santa Maria
Escola Estadual De Ensino Básico Dr. Paulo Devanier Lauda
Escola Estadual Santa Marta
Escola Professora Maria Rocha

Nova Santa Rita
EE Nova Sociedade

Sapucaia do Sul
EE Guianuba

Viamão
EE Prof. Tolentino Maia

Passo Fundo
EEEB Monteiro Lobato

Caçapava do Sul
Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro

Montenegro
EEEF Dr Jorge Guilherme Moojen

Alvorada
Escola Estadual de Ensino Médio Mário Quintana CAIC

Tapes
EEE Nossa Senhora do Carmo

Guaíba
IEE Gomes Jardim

Além dessas escolas, virão ônibus de professores para participar do ato em Porto Alegre de algumas cidades do interior como: Pelotas, São Gabriel, Cruz Alta e Alegrete.

Se a sua escola também irá paralisar, informe o Esquerda Diário ou comente nessa matéria.




Tópicos relacionados

22M   /    Greve Geral   /    Rio Grande do Sul   /    Reforma da Previdência   /    Greve Professores RS   /    Porto Alegre   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar