Negr@s

RACISMO NA TV

Nivea faz propaganda racista onde a pele negra deve ser embranquecia para ser bela

Em mais um caso de racismo em propagandas de cosméticos, dessa vez a Nívea anuncia um produto que promete clarear a pele, isso ocorreu em um país africano. Denunciada nas redes sociais, Nívea não reconhece racismo e fala de escolha individual de cada consumidor.

sexta-feira 20 de outubro| Edição do dia

Passada em países africanos como Gana, Nigéria, Camarões e Senegal, a propaganda do hidratante da Nívea mostra a ex-miss Nigéria Omowunmi Akinnifesi, enquanto usa um creme que promete uma “pele visivelmente mais clara”. O anúncio de TV mostra a pele da modelo ficando mais clara e branca enquanto ela aplica o hidratante.

Recentemente a Dove também fez uma propaganda racista em que mostra um modelo negro se tranformar em branca, fazendo referência ao uso do sabonete da marca Dove.


Reprodução

O curioso é que tanto Nívea quanto a Dove são empresas competidoras entre si já tendo se enfrentado diversas vezes nos tribunais, mas aparecem mais unidas do que tudo quando se trata de utilizar o racismo para impor os padrões de beleza, em nome de seus lucros. Destilam todo seu racismo assossiando a pele negra a sujeira que deve ser “limpa e clara”, um claro fato racista e ainda imperialista, passado no continente Africano que por anos foi colonizado e massacrado pelos governos europeus.

Ainda usam de um discurso falso de maior inclusão, ao trazer setores antes oprimidos para os comerciais de TV. Uma hipocresia, pois trasem a termatica perpetuando o racismo, além de que essas mesmas empresas se utilizam de trabalho precário da população negra e mais pobre.

A questão é que nem nos comerciais de TV, essas marcas deixam de esconder o racismo. Na verdade se utilizam dele para vender produtos e aumentar seus lucros. Em declaração da Nívea exemplifica bem isso:

Reconhecemos as preocupações levantadas por alguns consumidores sobre a comunicação da NIVEA em Gana. Nossa intenção nunca foi ofender nossos consumidores.

A Beiersdorf é uma empresa global, que oferece uma grande variedade de produtos que têm como finalidade abordar as diferentes necessidades de cada tipo de pele dos seus consumidores ao redor do mundo. Tendo conhecimento do direito de cada consumidor em escolher um produto de acordo com sua preferência, a empresa oferece diversas alternativas de produtos de alta qualidade para cuidados com a pele.

Em sua declaração justifica seu racismo a partir das escolhas inviduais dos consumidores baseados em suas necessidades. Mas não se trata nada de escolha, mas sim de oprimir a população negra, assossiando sua pele ao sujo e ao menos valorizado, essa ideologia justifica no mundo do trabalho, os menores salários aos negros e a maior exploração.

Nas favelas “justifica” os milhares de negros assassinados, ou mesmo no recente caso de um atentado na Somalia, que matou mais de 300 pessoas e a mídia oficial não noticiou. Temos que acabar com o racismo lutando contra esse sistema de opressão e exploração que é o capitalismo.




Tópicos relacionados

Racismo   /    Negr@s

Comentários

Comentar