CORONAVÍRUS

"Ninguém pega na mão deles" diz Damares ao negar as mortes de moradores de rua no país

Não há mais surpresas possíveis quando se trata do governo Bolsonaro e sua equipe de malucos, diriam alguns. Mas é fato que todos os dias eles conseguem ser desagradáveis a níveis cada vez mais abissais, mostrando que o buraco em que o Brasil mergulha, parece não ter fim.

sexta-feira 8 de maio| Edição do dia

As palavras a seguir foram ditas pela ministra Damares Alves numa coletiva de imprensa nesta quinta-feira: “Não são muitos [que têm a doença]. E por que não são muitos ainda? Ninguém pega na mão deles, ninguém abraça morador de rua. Infelizmente", disse a ministra.

Isso é um absurdo de tantas formas que é quase desnecessário destruir seu conteúdo que é de uma sequência de racismo e elitismo envolto na demagogia típica da direita reacionária que governa o país da mesma forma que protestam na rua a sua claque de pessoas totalmente comprometida com suas vantagens pessoais e não ligam para as milhares de mortes do povo pobre e dos trabalhadores, isso sem falar nas absurdas agressões contra os trabalhadores e trabalhadoras da saúde, que estão na linha de frente no combate a pandemia.

Diferentemente do racismo que a ministra utiliza em seu discurso a realidade dos moradores de rua em São Paulo, umas das principais capitais do país que já contabiliza pouco mais de 2 mil mortes, sendo que 22 das vítimas são moradores de rua. Além disso, cerca de 40 casos suspeitos são de pessoas sem-teto. Todos sabemos que o coronavírus não se transmite apenas pelo contato físico, mas Damares assim como Bolsonaro despreza a ciência e os fatos da realidade para criar um discurso asqueroso com um suposto ar de "preocupação" com a população em situação de rua. Mas a realidade é que estas pessoas permanecem em condições degradantes e desumanas, com o risco de morte iminente pela falta de condições básicas como uma moradia, saneamento, alimentação enquanto o governo gasta bilhões para proteger o lucro dos capitalistas.

Damares é a ministra que disse abertamente que o desenho Frozen "ensina as meninas a serem lésbicas", que quer que "meninas vistam rosa e meninos azul", que divide espaço no governo com Regina Duarte que ainda hoje fez piada com torturados e mortos da ditadura militar, Ricardo Salles responsável pelo avanço no desmatamento e por deixar a amazônia em cinzas, Abraham Weintraub ministro racista e xenófobo que destrói a educação e prega o obscurantismo e o atual "sinistro" da saúde Nelson Teich, e tem como líder máximo uma figura genocida como Bolsonaro.

Tudo que Damares defende e representa vai totalmente contra os interesses da classe trabalhadora, dos pobres, dos negros e do povo que vive nas ruas.
Fala que poucos são infectados e usa um exemplo esdrúxulo, pois é notório que o país lidera o ranking de país que estão com subnotificação dos casos. A verdade é que o governo não testa a população, seja moradores de rua seja quem está sob um teto. Se estima que a população infectada gire entre 500 mil e 1 milhão de pessoas. Todos os estudos sérios dão conta da falta de respeito com que o governo do Brasil vem tratando a pandemia. No mundo todo bolsonaro é tratado como uma aberração que é personificação do seu governo e de todos que atuam dentro dele
A verdade é que não se importam. Negam a pandemia o tempo todo, desejam a morte rápida e não tão indolor de todos que não tenham o histórico de atleta que Bolsonaro quase em tom de deboche, coloca como suposta condição de sobrevivência.

Se a população morrer de fome ou do vírus, o governo Bolsonaro que faz piada das milhares de mortes que hoje já chegaram a mais de 9 mil, assim como Damares, os militares, congresso e governadores, parceiros da elite brasileira, não ligam a mínima. Pra eles, não interessa quantos vão morrer, mas sim o tempo que isso vai levar e o custo que isso vai ter. Todo ódio possível a essa gente que considera a vida humana inútil.

Por testes massivos já! Nossas vidas valem mais que o lucro deles!!!




Tópicos relacionados

Coronavírus e racismo   /    Coronavírus   /    Damares Alves   /    Governo Bolsonaro

Comentários

Comentar