Política

PRIVATIZAÇÃO DE SP

Negócio da China: Doria quer vender a administração do Pacaembu em Xangai

O prefeito mascate foi a Xangai para fazer propaganda do “maior projeto de privatização urbana de todos os tempos”, ou seja, sua tentativa de vender o patrimônio público inteiro de São Paulo. A sua proposta de privatizar o Pacaembu já foi aprovada em primeiro turno na Câmara.

quarta-feira 26 de julho| Edição do dia

Chen Yin, vice-prefeito de Xangai, recebeu Doria nessa quarta-feira. O objetivo do tucano era “vender o peixe” do Pacaembu aos chineses, com o objetivo de firmar um contrato de concessão privada por 15 anos da administração do estádio.

Para isso, vale tudo. Chegou a tentar impressionar seus “clientes” dizendo que foi o estádio que consagrou Pelé. Vai receber Chen Yin em São Paulo no mês que vem para conhecer o estádio e o Museu do Futebol que fica dentro dele. E disse que aí poderia sair "um gol da China e do Brasil. Nesta partida, os dois times serão sempre vitoriosos".

Mais negócios

Doria também se reuniu com o presidente do New Development Bank, o “bancos dos Brics” (cada país do bloco de emergentes detém 20% das operações: África do Sul, Brasil, China, Índia e Rússia) para debater a venda de São Paulo aos capitalistas. Vê no banco mais um potencial cliente, a despeito da oposição do vice-presidente, o brasileiro Paulo Nogueira Batista, ao processo de privatização.

O tucano, contudo, acredita que Batista não irá se opor à venda de São Paulo, e ressaltando as “vantagens” dela, afirmou: “Não vejo razão para ele ser contrário àquilo que representa o óbvio".

O prefeito-empresário segue fazendo pose nas redes e perseguindo o seu principal objetivo na gestão da prefeitura: lotear a cidade inteira ao capital.




Tópicos relacionados

João Doria   /    Privatização   /    São Paulo   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar